Light (LIGT3) lucra R$ 235 milhões no 4T20: ganhos de 2020 quase triplicam

Light (LIGT3) lucra R$ 235 milhões no 4T20: ganhos de 2020 quase triplicam
Ligth divulgou seu balanço do quarto trimestre

A Light (LIGT3) lucrou R$ 235 milhões no quarto trimestre de 2020, revertendo o prejuízo de R$ 48 milhões do mesmo período de 2019. No consolidado de 2020, a companhia de energia elétrica viu seu lucro líquido consolidado crescer 177,8% na base anual, para R$ 493 milhões.

A receita líquida recorrente do quarto trimestre, desconsiderando a receita de construção, ficou em R$ 3,6 bilhões, crescendo 18,5% na comparação com o ano anterior. No consolidado do ano, a diferença foi menor, com esse número crescendo apenas 2,7%, saindo de R$ 11,8 bilhões em 2019 para R$ 11,5 bilhões em 2020.

A melhora no lucro, com a receita não avançando tanto no consolidado do ano, foi impulsionada por outros fatores, principalmente pelo melhor controle de custos.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Na Light SESA, braço de distribuição, as despesas gerenciáveis, que envolvem, por exemplo, os gastos com pessoal e com materiais, registrou recuou de 45% na base anual entre outubro e dezembro e o mesmo período de 2019, saindo de R$ 1,1 bilhão para R$ 608 milhões. No ano, essas despesas retrocederam 14,7%, saindo de R$ 2,7 bilhões para R$ 2,3 bilhões.

Essa queda, entretanto, foi praticamente anulada pelos maiores gastos no mesmo braço com despesas não gerenciáveis – como com compra de energia -, que avançaram 27,2% no quarto trimestre, para R$ 2,4 bilhões. No ano inteiro, o avanço foi mais sútil, ficando em 5,4%.

Na Light SESA, o resultado final ainda foi impulsionados pelo maior valor novo de reposição, que totalizou R$ 128 milhões, e pela redução em R$ 45 milhões na provisão para processos judiciais.

Na Light Energia, braço de geração, os custos do quarto trimestre se tornaram ganhos, ficando positivos em R$ 130 milhões, por conta de um estorno de R$ 433,8 milhões da ANEEL, que reconheceu gastos anteriores como indevidos. No consolidado do ano, apesar do efeito não recorrente, o recuo foi de 74,4%, com o gasto saindo de R$ 613 milhões em 2019 para R$ 157 milhões em 2020.

Com isso, o Ebtida (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Light S.A. avançou. No quarto trimestre, esse número ficou em R$ 974 milhões, alta de 110% na comparação com os R$ 464 milhões registrados no mesmo período de 2019. No ano, o Ebitda foi de R$ 2,2 bilhões, alta de 28,3%.

Light gastou menos com encargos de dívidas

A Light S.A. conseguiu diminuir ainda a sua dívida líquida, que saiu de R$ 5,7 bilhões para R$ 5,4 bilhões, com a alavancagem, medida pela relação entre a dívida líquida e o Ebitda (DL/Ebitda) ficando em 1,7 vez, ante 2,4 vezes no final de 2019.

A Light Energia já possui caixa líquido de R$ 361 milhões, estando a dívida líquida concentrada, majoritariamente, na Light SESA, que possui R$ 6 bilhões a pagar, mas que vem diminuindo seus encargos com a dívida.

Os gastos neste sentido recuaram no quarto trimestre e no ano. A dívida em moeda nacional da SESA custou R$ 22,4% menos em 2020 na comparação com 2019 e em moeda estrangeira, 25,6%.

Em janeiro de 2021, a Light conclui um follow on em que captou R$ 1,34 bilhão, que se somam ao caixa de R$ 3,09 bilhões da companhia. Até o final do ano, R$ 2,2 bilhões em dívidas vencem. A companhia afirma que continuará improvisando sua liability management, sua gestão mais responsável.

Vitor Azevedo

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO