Após leilão do 5G, BofA recomenda compra da TIM (TIMS3) e mantém a da Vivo (VIVT3) neutra

Após leilão do 5G, BofA recomenda compra da TIM (TIMS3) e mantém a da Vivo (VIVT3) neutra
Leilão do 5G. Foto: Agência Brasil

O Bank of America divulgou nesta sexta (5) um relatório sobre a primeira parte do leilão do 5G, realizado ontem pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Na visão do banco, a competição pelo direito de oferta da tecnologia foi mais acirrada que o esperado, com 15 empresas na disputa, ante a previsão de 10.

Com o resultado de ontem, o banco manteve visão otimista para as empresas de telecomunicações, com uma classificação de compra para TIM (TIMS3) e neutra para a Vivo (VIVT3).

Na disputa de ontem, estavam em jogo as faixas de 700MHz, 2,3GHz, 3,5GHz, sendo a última frequência a que permite a oferta de 5G – por isso foi a mais requisitada do leilão. A ClaroVivoTIM  arremataram os três principais lotes do leilão do 5G, na faixa de 3,5 GHz. A Claro também arrematou a maior parte da frequência de 2,3 GHz.

O BofA afirma que “a competição mais acirrada que resultou em prêmios elevados veio de grandes jogadores com a Claro e a TIM, pagando um prêmio médio de 454% e 397% (vs lances iniciais), respectivamente, em uma banda em que jogadores menores raramente fazem lances. No entanto, destacamos que parte deste prêmio (20%) deve ser pago na forma de investimentos (Capex), em vez de dinheiro, o que poderia compensar parcialmente os elevados prêmios pagos”.

A segunda parte do leilão ocorre hoje para a faixa de 26GHz, utilizada principalmente para fornecer conectividade em escolas.

“Acreditamos que ainda é cedo para tirar grandes conclusões, mas parece que a Claro foi a mais agressiva no leilão adquirindo mais espectro do que seus concorrentes, mas a preços mais elevados. A Vivo foi o player mais resiliente, adquirindo menos espectro do que a Claro, mas a preços muito melhores, enquanto a TIM adquiriu menos espectro, mas também com um prêmio alto devido à sua competição com a Claro em alguns mercados importantes. Aguardamos também mais detalhes para um melhor entendimento sobre o percentual desse valor que será pago por meio do Capex, que deve reduzir o desembolso de caixa no curto prazo”, conclui o banco.

Player menores também conquistam espaço no leilão do 5G

O leilão também resultou na entrada de três novos participantes no mercado de serviço móvel, com Winity II adquirindo uma concessão nacional e outros dois pequenos ISPs (Internet Service Provide, ou Provedor de Serviços de Internet) adquirindo sua primeira concessão regional.

Os pequenos ISP’s adquiriram espectros relevantes, disse o Banco. Como exemplo, a Brisanet (BRIT3) reforçou a sua atuação no Nordeste e expandiu também para o Centro-Oeste. A empresa pagou R$ 1,2 bilhão pela primeira parte (135x a oferta inicial) e outros R$ 105 milhões (4054% de prêmio) na segunda.

Para o BofA, o destaque dos players menores no leilão do 5G fica para a aquisição de uma concessão nacional pela Winity II, empresa voltada para clientes corporativos que adquiriu a banda de 700 MHz por R$ 1,4 bilhão, com ágio de 805%. Além disso, o espectro adquirido também pode ser alugado.

Bruno Galvão

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores Fundos Imobiliários

Baixar agora!