IPEA: Gastos dos estados com servidores inativos cresce 8% em um ano

IPEA: Gastos dos estados com servidores inativos cresce 8% em um ano
Gastos com servidores inativos cresce 8%, diz Ipea

Em um ano, os gastos dos estados com servidores públicos aumentou 8%. De acordo com cálculos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), os gastos são dez vez maiores que as despesas com trabalhadores que ainda estão na ativa.

Conforme o estudo do Ipea, os gastos com servidores inativos, nos estados cresceu 8%, entre setembro de 2017 e agosto de 2018, enquanto os servidores ativos tiveram um aumento de apenas 0,8%

De acordo com a análise das finanças públicas realizadas pelo Ipea, nos primeiros oito meses deste ano os governos estaduais apontaram desequilíbrio fiscal e financeiro.

Além disso, o  levantamento mostra que, de 2014 a 2017, houve uma redução de 1,6% de servidores ativos nos estados, mas os inativos cresceram 5,6%. O número de servidores (estatutários) ativos foi reduzido em 20 estados do país. Porém, o número de inativos cresceu em todos os 24 estados.

No acumulado de janeiro a agosto deste ano, os governos dos estados tiveram juntos um gasto de R$ 225,71 bilhões com pessoal e encargos sociais. Desta forma, houve um aumento de 2,2% em relação ao mesmo período do ano anterior (com inflação descontada).

Saiba mais: Temer aprova reajuste salarial de 16,38 % para o STF

Receitas

No primeiro semestre de 2018, os estados indicaram uma alta de 2,7% de aumento nas receitas primárias. A alta da arrecadação aconteceu pela elevação de impostos como:

  • ICMS;
  • IPVA;
  • ITBI.

Embora não suficientes, os impostos foram importantes para a recuperação gradual das contas públicas.

De acordo com o Ipea, os gastos dos estados com servidores inativos consumiu grande parte do arrecadado, totalizando R$ 11,5 bilhões até agosto de 2018.

Por conta disso, os estados não conseguiram recursos para investimentos. Esses últimos representaram apenas 11,5% de toda a despesa primária entre 2017 e 2018.

Ainda conforme o relatório, mesmo sendo comum aumentar os investimentos em períodos eleitorais, neste ano, os gastos ficaram em R$ 16,7 bilhões no 4º bimestre. O menor valor analisado pelo Ipea seja em anos eleitorais que em anos não eleitorais.

Renan Bandeira

Compartilhe sua opinião

Manual 10 passos essenciais para se tornar um investidor de sucesso. Baixe Grátis!

Baixar agora!