Investir em FIIs por meio de fundo previdência? Veja como isso é possível

Conteúdo patrocinado

Pouca gente sabe, mas hoje é possível investir em fundos imobiliários dentro de uma estratégia de previdência. A Capitânia, gestora especializada em fundos de previdência, aloca parte do patrimônio destes fundos em FIIs desde 2018.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/06/Lead-Magnet-1420x240-3.png

Nos três fundos de previdência da Capitânia abertos aos investidores em geral, os fundos imobiliários podem representar até 10% do patrimônio. Já no fundo voltado para investidores qualificados, a alocação em FIIs chega a 40% desde 2020, em linha com o limite estipulado pela legislação.

Hoje, a Capitânia Investimentos considera em sua estratégia todos os tipos de FIIs, desde que listados na bolsa de valores. “Pode ser FIIs de tijolo, de CRI, FoF, onde a gestão enxergar mais valor”, afirma o sócio e diretor de relacionamento com investidores e produtos da Capitânia Investimentos, Carlos Simonetti.

A Capitânia investe em FIIs desde fevereiro de 2014, antes de se tornar uma gigante de previdência. Hoje, a gestora tem uma equipe de seis pessoas na gestão de estratégia de fundos imobiliários.

No total, conta com exposição de R$ 3,4 bilhões em FIIS, o que faz da Capitânia o maior investidor institucional em FIIs da indústria. “O varejo atualmente fica com 73% do estoque dos FIIs, então somos o maior player profissional”, afirma.

Segundo Simonetti, a previdência aberta é o segundo veículo mais vantajoso do ponto de vista tributário para investir em FIIs.

O primeiro é investir diretamente em FIIs, já que a pessoa física tem isenção de Imposto de Renda nos proventos.

Confira as vantagens de ter FIIs dentro da estratégia de previdência:

  • Na previdência aberta existe uma postergação da tributação até o resgate ou contratação de renda por parte do cotista;
  • A tabela regressiva de tributação dos fundos de previdência chega em 10% depois de 10 anos;
  • No ganho de capital obtido na negociação dos FIIs investidos não incorre imposto de 20% sobre eventual ganho de capital.

“Então, no longo prazo, investir em FII por meio da previdência aberta faz bastante sentido”, destaca.

Com a alta da inflação, fundos imobiliários de papel – que investem em CRI – estão registrando um forte desempenho, mas a Capitânia vê com bons olhos os fundos de tijolo no longo prazo. “Vemos mais valor nos fundos de tijolo e fundos de fundos, pois alguns estão negociando abaixo do custo de reposição dos imóveis”, explica.

Além dos aportes da Capitânia em FIIs por meio de fundos de previdência, a gestora também tem fundos dedicados exclusivamente ao setor.

O primeiro fundo destinado a investir cotas de fundos imobiliários listados em bolsa foi o Capitania Reit Master. Este produto é voltado para o investidor profissional e entrega um retorno acumulado de 204,33% ao longo dos seus mais de 8 anos de história. No mesmo período, a rentabilidade do IFIX, principal índice de FIIs, foi de 124,79%, enquanto o CDI rendeu 93,81%.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/06/Lead-Magnet-1420x240-3.png

Suno

Compartilhe sua opinião