Investimento Direto no Brasil soma US$ 5,5 bilhões somente em outubro, mostra BC

O Investimento Direto no Brasil somou US$ 5,541 bilhões em outubro, informou nesta sexta-feira, 25, o Banco Central (BC).

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

No mesmo período do ano passado, o montante de Investimento Direto havia sido de US$ 3,375 bilhões. Em setembro, entraram US$ 9,185 bilhões em IDP.

O resultado ficou dentro das estimativas apuradas pelo Projeções Broadcast, que iam de US$ 4,617 bilhões a US$ 7,000 bilhões, mas foi menor do que a mediana de US$ 6,200 bilhões.

No acumulado do ano até outubro, o ingresso de investimentos estrangeiros destinados ao setor produtivo somou US$ 73,953 bilhões. A estimativa do BC para este ano é de IDP de US$ 70 bilhões. A projeção foi mantida no Relatório Trimestral de Inflação (RTI) de setembro.

No acumulado dos 12 meses até outubro deste ano, o saldo de investimento estrangeiro ficou em US$ 73,8 bilhões, o que representa 4,05% do Produto Interno Bruto (PIB).

Investimento direto em ações

O investimento estrangeiro em ações brasileiras ficou positivo em US$ 2,816 bilhões em outubro, informou o Banco Central. Em igual mês do ano passado, o resultado havia sido positivo em US$ 796 milhões. No acumulado do ano até outubro, o saldo ficou positivo em US$ 5,981 bilhões.

Já o investimento líquido em fundos de investimentos no Brasil ficou positivo em US$ 420 milhões em outubro. No mesmo mês do ano passado, ele havia sido negativo em US$ 92 milhões. No acumulado do ano até outubro, os fundos registram saídas líquidas de US$ 128 milhões.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-2-1.png

O saldo de investimento estrangeiro em títulos de renda fixa negociados no País ficou positivo em US$ 14 milhões em outubro. No mesmo mês do ano passado, havia ficado positivo em US$ 802 milhões. No acumulado de 2022 até o décimo mês, o saldo em renda fixa ficou negativo em US$ 7,683 bilhões.

O Banco Central informou também que a taxa de rolagem de empréstimos de médio e longo prazos captados no exterior ficou em 105% em outubro. Esse patamar significa que houve captação de valor em quantidade suficiente para rolar compromissos das empresas no período.

De acordo com os números apresentados nesta sexta pelo BC, a taxa de rolagem dos títulos de longo prazo ficou em 45% em outubro. Em igual mês de 2021, havia sido de 90%. Já os empréstimos diretos atingiram 107% no décimo mês do ano, ante 190% de outubro de 2021.

No acumulado do ano até outubro, a taxa de rolagem total ficou em 93%. Os títulos de longo prazo tiveram taxa de 24% e os empréstimos diretos, de 106% no período.

Com informações Estadão Conteúdo

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Fundos-Imobiliarios-Desktop-1.jpg

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião