Fulwood, incorporadora de galpões, pede registro para IPO

Fulwood, incorporadora de galpões, pede registro para IPO
Fulwood. Foto: Reprodução Site

A Fulwood, incorporadora de galpões e condomínios logístico-industriais, registrou seu pedido de Oferta Inicial de Ações (IPO, na sigla em inglês), na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), nesta quarta-feira (1).

A oferta da Fulwood será primária — quando os recursos vão para o caixa da empresa– e secundária — em que os atuais investidores vendem participações, de acordo com o prospecto.

Na oferta secundária, os acionistas Gilson Schilis, com 80% das ações da companhia, Fernando Schilis, com 5%, Mariana Schilis, com 5% e Ivone Schilis, com 10%, poderão diminuir sua participação.

Por sua vez, os recursos oriundos da oferta primária serão destinado para:

  • Aquisição de participação societária de outros sócios/acionistas em projetos do portfólio da Companhia (15%);
  • Aquisição de terrenos, de acordo com o plano de investimentos (30%)
  • Construção e desenvolvimento do pipeline de projetos da Fulwood (50%)
  • Capital de giro para fortalecimento da estrutura de capital (5%).

A Fulwood afirma que não utilizará os recursos da oferta primária para pagar dívidas. Além disso, a companhia destaca que “a destinação dos recursos líquidos que a Companhia vier a receber com a Oferta Primária se baseia nas análises, perspectivas atuais, projeções sobre eventos futuros e tendências.”

A operação será coordenada por BTG Pactual, Bradesco BBI e Itaú BBA.

Raio X da Fulwood

A Fulwood acredita ser uma das principais empresas do setor de condomínios logísticos-industriais do Brasil. Desde 1995 atua na incorporação de galpões e condomínios logísticos-industriais. Até hoje, já desenvolveu mais de 1.092.000 metros quadrados, de acordo com o documento arquivado na CVM.

“Atuamos na incorporação, locação e administração/gestão de galpões logístico-industriais, com foco na realização de condomínios Triple-A, mais alta categoria de condomínios logístico-industriais, no que se refere a padrões construtivos e tecnologia de armazenamento de mercadorias diversas”, explica.

A empresa diz que realizou a gestão de 90 contratos de locação em 13 empreendimentos no primeiro semestre deste ano, localizados nos Estados de São Paulo e Minas Gerais.

De acordo com o prospecto preliminar da oferta, a Fulwood registrou lucro líquido de R$ 97,160 milhões em 2020, alta de 178% em relação a 2019.

A Fulwood somou Ebitda de R$ 28,186 milhões no primeiro semestre deste ano, sem apresentar comparação com o mesmo período do ano passado. Em 2020, o indicador somou R$ 101,884 milhões.

Com informações do Estadão Conteúdo

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores Fundos Imobiliários

Baixar agora!