IGP-M de novembro sobe 0,02%, com queda nos preços das commodities; entenda

IGP-M de novembro sobe 0,02%, com queda nos preços das commodities; entenda
Conheça novo Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) da FGV. Foto: Pixabay

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), mais conhecido como inflação do aluguel, registrou um pequeno avanço de 0,02% em novembro, informou nesta segunda-feira (29) a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O resultado é bem menor do que o registrado em outubro (+0,64%). Com isso, o IGP-M acumula alta de 16,77% no ano e de 17,89% em 12 meses. Em novembro de 2020, o indicador de inflação registrou alta de 3,28% e acumulava 24,52% de variação em 12 meses.

De acordo com a FGV, o menor avanço do IGP-M em novembro é resultado de recuos nos preços das commodities.

“Apesar dos aumentos registrados para Diesel (6,61% para 9,96%) e gasolina (2,79% para 10,17%) na refinaria, as quedas nos preços de grandes commodities favoreceram a manutenção da inflação ao produtor em terreno negativo”, afirma André Braz, Coordenador dos Índices de Preços da FGV.

Os maiores recuos foram:

  • minério de ferro (-8,47% para -15,15%),
  • soja (-0,18% para -2,85%), e
  • milho (-4,52% para -5,00%)

Resultado do IGP-M em novembro

O IGP-M é um índice composto que sofre influência dos seguintes indicadores:

De acordo com a FGV, o recuo do IGP-M em novembro foi puxado pelo IPA-M em campo negativo. No mês, o índice fechou com queda de 0,29%, após alta de 0,53% em outubro.

O resultado representa desaceleração na inflação ao produtor. A principal contribuição para este resultado partiu das Matérias-Primas Brutas, que intensificou a queda em sua taxa: passou de -1,87% em outubro para -4,84% em novembro. O subgrupo de alimentos processados também influenciou, a taxa passou de 0,92% para -0,50%.

Já o IPC-M variou 0,93% em novembro, ante 1,05% em outubro. Sete das oito classes de despesas do índice ao consumidor registraram decréscimo em suas taxas de variação no mês. A FGV destaca a desaceleração de passagens aéreas neste índice, que passou de +22,84% no mês passado para +1,62% em novembro.

Por fim, o INCC-M variou 0,71% em novembro, frente 0,80% em outubro. Os três grupos componentes da inflação da construção civil registraram as seguintes variações na passagem de outubro para novembro:

  • Materiais e Equipamentos (1,68% para 1,23%),
  • Serviços (0,36% para 0,49%) e
  • Mão de Obra (0,10% para 0,28%).

IGP-M sofre influências das oscilações do dólar. Além disso, também tem base nas cotações internacionais de produtos primários, como commodities e metais.

Monique Lima

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores Fundos Imobiliários

Baixar agora!