Semana do ESG

IFIX cai 0,88% em junho; BTRA11 despenca quase 17% no mês

IFIX cai 0,88% em junho; BTRA11 despenca quase 17% no mês
IFIX. Foto: Pixabay

O IFIX, principal índice da bolsa de valores brasileira (B3), terminou a sessão em alta de 0,13% nesta quinta-feira (30), aos 2.796 pontos, encerrando assim uma sequência de 6 quedas diárias consecutivas. O índice terminou o mês de junho com um desempenho negativo de 0,88%.

A cotação do IFIX alcançou sua máxima do pregão aos 2.798 pontos, enquanto a mínima atingida foi de 2.791 pontos. No cenário mensal, o maior valor do índice no mês de junho bateu os 2.834 pontos – e o menor, 2.790 pontos.

Entre os destaques de alta da sessão de hoje, liderou o fundo imobiliário GGR Covepi Renda (GGRC11), com uma variação de +1,82%. Em seguida, veio o FII Kilima FIC de FII SUNO 30 (KISU11), que teve uma valorização diária de 1,60%.

Já na ponta negativa, impactou no IFIX hoje a desvalorização do fundo JS Real Estate Multigestão (JSRE11), em 1,90%. Além disso, o FII Brazilian Graveyard and Death Care Services (CARE11) teve uma baixa de 1,42%, ficando na segunda colocação de maiores quedas do dia.

Maiores altas do IFIX

As 5 maiores altas de fundos imobiliários do IFIX hoje foram:

  • GGRC11: +1,82%
  • KISU11: +1,60%
  • PATL11: +1,58%
  • OUJP11 :+1,40%
  • HGBS11: +1,31%

Maiores baixas do IFIX

As 5 maiores quedas de FIIs na sessão foram:

  • JSRE11: -1,90%
  • CARE11 :-1,42%
  • SPTW11 :-1,01%
  • BTCR11: -1,01%
  • BLMR11: -0,99%

IFIX cai 0,88% em junho e interrompe sequência de 3 meses de altas consecutivas

No cenário mensal, o valor do IFIX fechou junho com uma performance negativa de 0,88%, encerrando uma sequência de 3 meses de altas seguidas. Assim, foi o pior desempenho do índice em um mês desde fevereiro de 2022, quando a desvalorização tinha sido de 1,29%.

Entre os fundos imobiliários que puxaram a queda na cotação do IFIX em junho, se destaca o FII BTG Pactual Terras Agrícolas (BTRA11), que despencou 16,95%. A forte queda do fundo ocorreu após a divulgação de que arrendatários dos ativos do BTRA11 haviam entrado com pedido de recuperação judicial. Na data do anúncio, em 22 de junho, o FII caiu cerca de 16,49%.

Além disso, o fundo imobiliário Brazilian Graveyard and Death Care (CARE11) também ficou entre as maiores baixas do mês, com uma variação de -10,92%. Vale destacar que no mês de maio o FII havia se valorizado cerca de 22,25%. O fundo Vinci Offices (VINO11) também ficou entre as principais baixas do período, com uma queda de 9,27%, impactando de forma negativa na movimentação do IFIX.

Apesar do desempenho do IFIX ter sido de baixa no mês de junho, alguns fundos seguiram o caminho contrário, se destacando entre as altas. O destaque entre eles foi o fundo imobiliário Suno Fundo de Fundos (SNFF11), com uma valorização de 7,21%. Do mesmo modo, o Vectis Juros Real (VCJR11) teve uma performance positiva de 5,12%.

Maiores altas do mês de junho

Os 5 fundos imobiliários que mais subiram no mês de junho foram:

  • SNFF11: +7,21%
  • VCJR11: +5,12%
  • RBFF11 :+4,93%
  • ARCT11: +3,86%
  • VGHF11 :+3,62%

Maiores quedas do mês de junho

Os 5 FIIs que mais caíram em junho foram:

  • BTRA11: -16,95%
  • CARE11: -10,92%
  • VINO11: -9,27%
  • SARE11: -8,11%
  • BRCR11: -7,90%

O IFIX serve para medir o desempenho médio dos principais fundos imobiliários presentes na bolsa de valores brasileira, a B3. Com esta queda de junho, o índice tem uma baixa acumulada de 0,32% no ano de 2022.

Redação Suno Notícias

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO