Ibovespa: Riscos políticos aumentam com Lula, mas podem surgir oportunidades, diz XP

Os riscos políticos do Brasil em 2021 vem aumentando rapidamente. A quase demissão do CEO do Banco do Brasil (BBAS3), André Brandão, o anúncio da troca abrupta do presidente da Petrobras (PETR4) e agora a decisão favorável ao ex-presidente Lula aumentam a percepção de risco do País e devem pressionar ainda mais o Ibovespa, segundo relatório da XP Investimentos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-2-1.png

Após a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, na segunda-feira (8), de anular todos os processos contra o ex-presidente Lula no âmbito da operação Lava Jato, o Ibovespa despencou 3,9%, fechando a 110,611 pontos. A decisão devolve ao petista os direitos políticos, tirando-o do escopo da Lei de Ficha Limpa.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Com possível eleição de Lula em 2022, os investidores temem uma guinada ainda maior do governo atual ao populismo e consequentemente o abandono da agenda liberal e do compromisso com a saúde fiscal do país para angariar votos.

“O mercado passou, dessa maneira, a precificar um cenário de maior polarização nas eleições de 2022. Assim sendo, o risco de medidas e de discursos populistas pelos candidatos pode aumentar daqui até a chegada das eleições no segundo semestre de 2022”, apontou a XP.

Na análise do mercado, esses acontecimentos devem continuar a elevar o prêmio de risco do Brasil.

Ibovespa tende a cair, mas pode oportunidades surgir, diz XP

No ano, o Ibovespa segue entre os índices de Bolsa com a pior performance no mundo, junto com a Argentina, em queda de 16% em dólares. O Real também está com a pior performance no ano de 2021 entre as moedas emergentes, com queda de 10,6%.

Desde o início do ano, haviam entrado R$ 28 bilhões de investimentos líquidos na B3 pelos investidores estrangeiros até o dia 19 de fevereiro — dia do anúncio de troca de comando da Petrobras. Em novembro, os investimentos estrangeiros líquidos somavam R$ 81 bilhões. Porém, desde então, a corretora contabilizou cerca de R$ 15 bilhões de saída de estrangeiros, baixando o saldo positivo para o ano para apenas R$ 12 bilhões, por enquanto.

Com essa movimentações o Ibovespa se assemelha ao ano de 2016, quando Dilma Rousseff era presidente.

Na análise da corretora, caso o mercado brasileiro siga precificando um aumento de prêmio risco, há espaço para novas quedas de preço. Mas, a bolsa brasileira, segundo análise da XP, já está bastante descontada tanto em relação ao mercados desenvolvidos quanto aos emergentes, “o que pode ajudar a segurar essa correção”.

Além disso, empresas de qualidade tendem a sofrer nessas correções, que pouco tem a ver com o fundamento das companhias. “Por enquanto, mantemos nosso target para o Ibovespa em 135.000 pontos para o final do ano, mas seguiremos atentamente os próximo acontecimentos”, concluiu a XP.

Hoje, por volta das 11h, o Ibovespa apresenta queda de 0,23%, a 110.357,61 pontos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240_TEXTO_CTA_A_V10.jpg

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião