Ibovespa fecha em alta de 1,34%; Petrobras (PETR4) e Vale (VALE3) sobem forte, MRV (MRVE3) tomba 3,1%

O Ibovespa hoje (3) encerrou a sessão em alta de 1,34%, aos 119.672,78 pontos. A mínima do dia foi de 118.092,02 pontos, que foi a cotação de abertura, enquanto a máxima foi de 119.877,04 pontos. O volume financeiro totalizou R$ 21,3 bilhões.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/06/Lead-Magnet-1420x240-3.png

O sinal positivo que prevaleceu ao longo de toda a sessão foi atribuído à expectativa pela votação da reforma tributária na Câmara esta semana e ao boletim Focus, divulgado pela manhã, com manutenção da tendência de melhora das expectativas de mercado para variáveis como a inflação – e com os agentes passando a projetar queda de meio ponto porcentual para a Selic ainda em agosto.

“Lá fora, os mercados operaram hoje entre o neutro e o positivo, sem muito fôlego, com expectativa forte para a agenda da semana, que traz na quarta-feira a ata da mais recente reunião de política monetária do Fed quando se fez uma pausa na elevação dos juros de referência nos Estados Unidos e para o relatório oficial sobre o mercado de trabalho americano em junho, na sexta-feira”, diz Dennis Esteves, especialista e sócio da Blue3 Investimentos.

Em sessão mais curta para os ativos americanos nesta véspera de 4 de julho – e com retomada dos negócios apenas na quarta-feira – , os índices de Nova York fecharam o dia com ganhos entre 0,03% (Dow Jones) e 0,21% (Nasdaq). Na China, a leitura final sobre o PMI da Caixin, embora um pouco acima do limiar de 50 em junho, mostrou desaceleração ante maio, aponta Esteves, em momento no qual os investidores seguem monitorando de perto os índices de atividade industrial na segunda maior economia do mundo, ainda sem sinais de estímulos do governo no curto prazo.

“Na zona do euro, o mesmo dado de PMI também mostrou fraqueza, com o índice recuando de 44,8 pontos para 43,4, em desaceleração disseminada entre as principais economias: o PMI da Alemanha caiu para 40,6 pontos, o da Espanha foi a 48, e o da Itália a 43,8”, observa em nota a Guide Investimentos. Leituras abaixo de 50 indicam desaceleração do ritmo de atividade, na margem.

Na B3, o desempenho positivo do mercado foi puxado, basicamente, pelas empresas de commodities, apesar do PMI da China, e pelas varejistas do setor de consumo, com a perspectiva para o início do ciclo de redução de juros, que resulta em fechamento da curva dos DIs futuros ante a expectativa de atuação do BC sobre a Selic, aponta Rodrigo Moliterno, head de renda variável da Veedha Investimentos. “O dia foi um pouco mais fraco em termos de volume, com o feriado de amanhã nos Estados Unidos, e meia sessão – horário mais curto de funcionamento – hoje por lá.”

A Vale (VALE3) ficou entre as 5 maiores altas do Ibovespa hoje, com uma forte valorização de 3,13%. Enquanto isso, a Petrobras (PETR4) encerrou a sessão com ganhos de 1,86% nas ações preferenciais e de 1,72% nas ações ordinárias (PETR3).

Liderou os ganhos do Ibovespa a Locaweb (LWSA3), com alta de 3,96%. Já as perdas tiveram como principal destaque a MRV (MRVE3), que caiu 3,11%.

Nos EUA, as bolsas terminaram o dia estáveis em véspera do feriado da Independência no país, em meio aos dados de atividade econômica mais fracos e a uma inflação ainda persistente.

As questões econômicas dos Estados Unidos acabaram deixando os investidores em maior alerta sobre a chance de uma recessão no país. O pregão nos EUA foi mais curto em razão do feriado de amanhã, o que reduziu a liquidez do mercado.

  • Dow Jones: +0,03%, aos 34.418,47 pontos;
  • S&P500: +0,12%, aos 4.455,59 pontos;
  • Nasdaq: +0,21%, aos 13.816,77 pontos.

O que movimentou o Ibovespa hoje?

Segundo Fabio Louzada, economista, analista CNPI e fundador da Eu me banco, o Ibovespa hoje (3) subiu com investidores monitorando assuntos como reforma tributária, Carf e arcabouço fiscal, que poderão ser votados ainda nesta semana.

Além disso, o Boletim Focus desta segunda-feira veio com melhores projeções de inflação, acalmando as curvas de juros hoje. Esse fato pode reforçar o início do processo de queda de juros a partir do mês de agosto.

As ações da Vale tiveram alta acompanhando a decisão favorável à empresa do Conselho Estadual de Política Ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) de Minas Gerais.

O Semad aprovou a Licença de Operação da barragem Torto, no complexo de Brucutu, em Barão de Cocais e São Gonçalo do Rio Abaixo.

Além disso, a Vale seguiu a valorização dos seus pares no mercado internacional, que avançaram em meio à expectativa de retomada de crescimento da economia da China.

A B3 (B3SA3) é outra ação do Ibovespa que subiu, após o banco Citi dizer em relatório que os volumes mensais da bolsa podem ter alcançado em junho o maior nível desde dezembro de 2022, ou seja, o mais elevado de 2023 até agora.

Louzada destaca que isso “mostra que o mercado está mais otimista com a bolsa em meio à possibilidade de corte de juros no segundo semestre”.

Nas quedas do Ibovespa, chamou atenção a Raia Drogasil (RADL3), que recuou em meio a um movimento de realização de lucros. A ação já vem registrando alta já há algum tempo. Recentemente, a companhia anunciou novos Juros Sobre Capital Próprio (JCP), mas que, segundo o especialista, “não deixaram os investidores muito satisfeitos”.

Outra ação que caiu hoje foi a MRV (MRVE3), que puxou o setor de construção para baixo. “A reação acontece por causa de uma notícia relacionada a BTG, Itaú e Bradesco estarem estruturando um possível follow-on de ações, o que poderá deixar as ações descontadas”, explica Louzada.

Maiores altas e baixas

Última cotação do Ibovespa

O Ibovespa encerrou a sessão de sexta-feira (30) em baixa de 0,25%, aos 118.087,00 pontos.

Com Estadão Conteúdo

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/12/Ebook-Acoes-Desktop.webp

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião