Ibovespa cede 0,78% com crise hídrica e ruído político; Cyrela (CYRE3) afunda 4%

Ibovespa cede 0,78% com crise hídrica e ruído político; Cyrela (CYRE3) afunda 4%
Ibovespa. Foto: Pixabay

O Ibovespa encerrou o pregão desta segunda-feira (30) em queda de 0,78%, a 119.739,96 pontos, descolando Wall Street em meio a ruídos domésticos e ao agravamento da crise hídrica.

O aumento da percepção de risco voltou a pressionar o Ibovespa hoje, após o Banco do Brasil (BBAS3) e a Caixa Econômica Federal anunciarem a saída da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). A ruptura ecoa um manifesto da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) em defesa da harmonia dos três Poderes da República.

“Ruídos políticos e fiscais ainda seguem no radar e bastante indefinidos, tanto por questões de Orçamento, teto de gastos, reforma tributária, energia elétrica, inflação,” destacou a equipe da Terra Investimentos.

Movimentação do Ibovespa hoje

Embora o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) tenha registrado uma desaceleração de 0,78% em julho para 0,66% em agosto, as ações de construtoras cederam em bloco. O Índice Nacional da Construção Civil (INCC), inflação da construção civil, acumula alta de 11% no ano e a expectativa de alta da inflação, devido à manutenção da bandeira vermelha 2 pesaram o setor. Cyrela (CYRE3) liderou as perdas do índice, caindo 4%. Eztec (EZTC3) recuou 2,5% e MRV (MRVE3) 1,6%.

Os papéis de Vale (VALE3), CSN (CSNA3) e Gerdau (GGBR4) tiveram queda nesta segunda-feira. Usiminas (USIM5) subiu 0,8%.

Americanas (AMER3) e Lojas Americanas (LAME4) capitanearam as maiores altas do Ibovespa hoje, dando continuidade à recente volatilidade das ações.

Ibovespa cede 0,78% com crise hídrica e ruído político; Cyrela (CYRE3) afunda 4%
Ibovespa hoje. Foto: Reprodução Status Invest

Maiores altas do Ibovespa 

As maiores altas do Ibovespa no dia de hoje foram:

Maiores baixas do Ibovespa 

As maiores baixas do Ibovespa no dia de hoje foram:

Notícias que movimentaram a bolsa de valores 

  • Caixa e BB deixam Febraban
  • Vibra Energia criará FII de postos de combustíveis
  • Reajuste do Bolsa Família depende de precatórios

Caixa e Banco do Brasil (BBAS3) deixam Febraban; Câmara quer ouvir presidentes dos dois bancos

O Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal deixaram a Febraban no último sábado (28) e já avisaram a decisão ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e ao presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

O motivo da saída seria um manifesto, com um pedido de harmonia entre os três Poderes, cuja publicação foi adiada pela Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp). A Febraban é signatária do documento e ambos os bancos, BB e Caixa, discordam do posicionamento por considerarem político.

A Febraban disse em nota de esclarecimento que não participou da elaboração de texto que contivesse ataques ao governo federal ou oposição à atual política econômica.

Vibra Energia (BRDT3), ex-BR, criará fundo imobiliário de postos de combustíveis com Prisma Capital

A Vibra Energia (BRDT3), ex-BR Distribuidora, celebrou um memorando de entendimento (MoU) com a Prisma Capital para a criação de um fundo de investimento imobiliário (FII). O FII receberá aporte de imóveis da Vibra Energia, sendo eles todos postos de combustíveis com bandeira Petrobras, avaliados em R$ 643,8 milhões.

A ex-BR Distribuidora informou que a operação com a Prisma Capital engloba o aporte e gestão de uma carteira de até 238 imóveis.

Reajuste do Bolsa Família depende de precatórios, diz Pacheco

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, disse hoje (30) que é preciso solucionar o pagamento dos precatórios em 2022 para abrir espaço no orçamento para o aumento do valor do Bolsa Família. O senador se reuniu, nesta segunda-feira, com o ministro da Economia, Paulo Guedes, que também defendeu a solução, que deve acontecer por via judicial.

Na semana passada, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Luiz Fux, disse que deve propor uma solução que prevê microparcelamentos, além da publicação de uma resolução pelo CNJ para regulamentar a postura dos tribunais em relação ao assunto. Amanhã (31), Pacheco e o presidente da Câmara, Arthur Lira, devem se encontrar com Fux para alinhar essa decisão.

Desempenho dos principais índices 

Além do Ibovespa, confira o fechamento dos principais índices da bolsa hoje:

  • Ibovespa hoje: -0,78% / 119.739,96
  • IFIX hoje: +0,37% / 2.741,19
  • IBRX hoje: -0,77% / 51.383,761
  • SMLL hoje: -1,05% / 2.886,52
  • IDIV hoje: -0,55% / 6,786,02

Última cotação do Ibovespa

De forma distinta ao Ibovespa hoje, o índice acionário encerrou as negociações na última sexta com uma alta de 1,65%, aos 120.677,60 pontos.

(Com Estadão Conteúdo e Agência Brasil)

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião

Manual 10 passos essenciais para se tornar um investidor de sucesso. Baixe Grátis!

Baixar agora!