Ibovespa opera próximo à estabilidade com commodities em destaque; Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4) sobem forte e dólar avança

O Ibovespa abriu a sessão desta sexta-feira (12) próximo à estabilidade, e por volta das 10h20, o índice avançava 0,09%, aos 127.509 pontos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-Dkp-1.png

O petróleo dispara nesta manhã, com altas próximas aos 2,50%. Nessa esteira, a Petrobras avança: Petrobras ON (PETR3), +1,40% a R$ 41,20 e Petrobras PN (PETR4), +1,32% a R$ 39,83.

Outra commodity em destaque hoje é o minério de ferro, que fechou em alta de 3,12% nesta madrugada em Dalian, na China. Com isso, a Vale (VALE3) avança 1,57% a R$ 62,82.

A maior alta do Ibov no início da sessão é da Prio (PRIO3), +3,90% a R$ 51,74. Usiminas (USIM5), +2,24% a R$ 10,49 e os papéis ordinários da Petrobras completam o top-3.

Na ponta negativa do índice Bovespa, Azul (AZUL4) lidera as perdas com -2,98% a R$ 12,04, seguida por Yduqs (YDUQ3), -2,80% a R$ 15,29 e Carrefour (CRFB3), -2,54% a R$ 12,28.

No radar dos investidores

Hoje, começa a temporada de balanços do primeiro trimestre de 2024 nos Estados Unidos, e os números podem mexer com as bolsas daqui em diante. JP Morgan, Citigroup e Wells Fargo, grandes bancos norte-americanos, são algumas das empresas que reportam seus resultados nesta sexta-feira.

Além disso, algumas autoridades do Federal Reserve, como Raphael Bostic e Mary Daly, devem realizar declarações hoje. Assim, os investidores ficam atentos a qualquer novo sinal acerca da condução da política monetária por lá, após dados de inflação do PCE deteriorarem as expectativas quanto ao início do corte de juros.

No Brasil, o dia é de agenda esvaziada, mas tanto os balanços nos Estados Unidos, quanto as falas dos dirigentes do Fed, podem impactar na movimentação do Ibovespa hoje.

Maiores altas e baixas do Ibovespa

Cotação do dólar

A cotação do dólar hoje avança 0,65% a R$ 5,1245.

O dólar hoje vai na contramão da queda dos treasuries nos Estados Unidos, com investidores ajustando suas expectativas em relação ao ciclo da política monetária por lá.

Bolsas asiáticas fecham em baixa, com queda nas exportações chinesas

As bolsas asiáticas encerraram os negócios desta sexta-feira (12) majoritariamente em baixa, com a de Hong Kong derrubada por dados fracos de exportação da China.

O Hang Seng, único índice de ações asiático relevante que ainda não havia fechado quando os últimos números da balança comercial chinesa foram divulgados, com algumas horas de atraso, amargou queda de 2,18% em Hong Kong, a 16,721,69 pontos.

Na comparação anual de março, as exportações chinesas sofreram uma inesperada queda de 7,5%, que contrariam previsão de alta de 0,1%. As importações do gigante asiático também decepcionaram.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240.jpg

Na China continental, onde os mercados já estavam fechados quando o indicador de comércio foi publicado, o dia também foi de perdas, lideradas por ações de energia e do setor imobiliário. O Xangai Composto caiu 0,49%, a 3.019,47 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 0,81%, a 1.707,71 pontos.

Em outras partes da Ásia, o Kospi cedeu 0,93% em Seul, a 2.681,82 pontos, à medida que o apetite por risco se enfraqueceu após o banco central sul-coreano, conhecido como BoK, deixar seu juro básico inalterado em 3,5% pela décima vez consecutiva, enquanto o Taiex registrou perda marginal de 0,08% em Taiwan, a 20.736,57 pontos.

Exceção, o japonês Nikkei subiu 0,21% em Tóquio, a 39.523,55 pontos, ajudado por ações de eletrônicos e da indústria real, graças em parte à fraqueza do iene.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no vermelho, pressionada por ações de bancos e ligadas a consumo. O S&P/ASX 200 caiu 0,33% em Sydney, a 7.788,10 pontos.

Último fechamento do Ibovespa

O Ibovespa encerrou a sessão de ontem (11) em queda de 0,51%, aos 127.396,35 pontos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240-2.png

Guilherme Serrano Silva

Compartilhe sua opinião