AGENDA

Habib’s volta a crescer e aposta no delivery

Habib’s volta a crescer e aposta no delivery
Habib's volta a crescer e aposta no delivery

O Habib’s está retomando o seu crescimento e, para isso, aposta delivery. Após um período massivo de fechamento de unidades físicas, a rede terminou 2018 com 540 lojas, número próximo ao de 2014, quando a crise econômica foi deflagrada.

Em 2019, o foco da empresa está em melhorar seus pontos de venda e acelerar inaugurações. Apenas este ano, já foram inaugurados 20 novos Habib’s e 100 Ragazzo.

A estratégia do Habib’s é fundamentada nos recentes resultados de suas vendas. Hoje, 46% têm o consumo concentrado fora da loja, com o delivery e o pick-up (quando o cliente vai até a loja e leva o produto para casa). Em 2017, esse formato representava apenas 17% das vendas.

Veja também: Swiss Re vende sua participação na SulAmérica

Para agilizar o atendimento, a companhia está implementando um drive-thru duplo, que atende:

  • quem faz o pedido na hora
  • quem já realizou a compra pelo aplicativo da rede ou do iFood

Para Alberto Saraiva, fundador da rede, é preciso otimizar o processo para quem busca o produto na loja, pois a taxa do delivery pode ser um impeditivo do consumo. “Não que a taxa que cobramos seja alta, mas como aqui a pessoa leva dez esfihas por R$ 12, ela fica desproporcional em crtos casos”, afirmou Saraiva.

Atualmente, 262 unidades Habib’s e Ragazzo já possuem o drive-thru, e sofrerão alterações. Nos próximos meses, o objetivo é aumentar o pick-up para 360 unidades.

Segundo o consultor Sérgio Molinari, da Food Consulting, as mudanças do Habib’s são resultado do movimento da concorrência. Para ele, McDonald’s e Burguer King realizaram um trabalho consistente para conter a crise e expandir suas atuações.

“Além disso, essas redes têm capital farto para financiar a expansão”, lembrou o consultor. O Burger King, por exemplo, está inaugurando, em média, 100 novas unidades.

Além disso, Molinari considera que o caminho pela expansão do Ragazzo, de comida italiana, é a estratégia mais assertiva para o Habib’s. O interesse por alimentos árabes no Brasil é limitado em comparação à culinária italiana.

“E essa experiência de restaurante, a um preço bem baixo, é uma oferta interessante para o cliente”, afirmou Molinari.

Habib’s ainda arca com processos tributários

Além da crise econômica brasileira, mesmo atuando segmento alimentício, que é consideravelmente estável, o Habib’s também precisou responder por processos tributários em Minas Gerais e São Paulo, a partir do fim de 2014. As multas aplicadas à rede foram milionárias.

Confira: Saraiva registra prejuízo de R$ 17,5 milhões em julho

Saraiva relata ter feito alguns acordos com a Justiça e diz ter a situação “fechada”, embora as multas ainda estejam em questionamento.

“O processo em si encerrou. Ficaram algumas multas que estão sendo questionadas. Aquelas que a gente achou que deveria pagar, já pagamos”, disse o criador do Habib’s.

Tags
Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião

Manual 10 passos essenciais para se tornar um investidor de sucesso. Baixe Grátis!

Baixar agora!