Grendene (GRND3) anuncia retomada parcial da produção

Grendene (GRND3) anuncia retomada parcial da produção
Grendene (GRND3) anuncia retomada parcial de fábricas

A Grendene (GRND3) informou nesta quinta-feira (22) que irá retomar parcialmente as atividades nas fábricas de Crato e Sobral, no estado do Ceará, a partir do dia 27 de abril.

A empresa do setor calçadista havia anunciado férias coletivas de 21 dias para todas as operações, a partir do dia 23 de março. No dia 9 de abril, a companhia comunicou que manteria as duas fábricas fechadas até o dia 26 de abril.

Veja também: Suno One: O primeiro passo para alcançar a sua independência financeira

Além disso, as atividades da planta em Farroupilha, no Rio Grande do Sul, foi retomada no dia 14 de abril. De acordo com a Grendene, o retorno das operações será parcial, com redução da jornada de 70%, assim como os salários.

Dessa forma, conforme acordo com o Sindicato dos Empregados de Sobral e Crato, o início das atividades se dará em duas etapas. Em um primeiro momento, no período de 27 de abril até 5 de maio, estarão dispensados os funcionários que tenham crédito no banco de horas. Na sequência, a partir de 6 de maio, as operações serão retomadas de maneira parcial, com uma redução de 70%

Grendene concede férias coletivas

A Grendene decidiu dar férias coletivas aos seus funcionários de todas unidades no País. A medida foi tomada para prevenir a disseminação do coronavírus em suas instalações e anunciada no final de março. A doença se tornou uma pandemia e o número de casos cresce em larga escala a cada dia no Brasil.

Saiba mais: Grendene concede férias coletivas por causa da pandemia de coronavírus

A companhia do setor de calçados informou que todas as atividades relacionadas as suas fabricas e também as administrativas serão paralisadas pelo período de 21 dias, começando na 23 de março.

Saiba mais: Grendene registra queda de 15,5% em lucro líquido em 2019

A Grendene diz que não é possível prever o impacto financeiro que a empresa sofrerá por conta do covid-19.

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião