Google (GOGL34): Austrália deve seguir com nova lei, apesar de ameaças

A Alphabet (GOGL34), dona da Google (NASDAQ: GOOGL), está passando aperto na Austrália diante de uma nova legislação que poderia atacar frontalmente seu serviço de busca. A empresa chegou até a ameaçar o desligamento de suas operações no país. Apesar disso, hoje, o Financial Times reportou que o órgão regulador australiano está confiante de que os parlamentares seguirão em frente com o novo projeto de lei.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop.jpg

Segundo reportagem, o órgão está seguro de que os membros do Parlamento da Austrália vão aprovar a nova legislação, mesmo com todos os esforços do Google para barrar o projeto de lei.

O esboço do projeto inclui:

  • um modelo de arbitragem vinculativa para pagamentos, forçando a gigante da tecnologia a negociar com fornecedores de conteúdo;
  • cláusulas anti-discriminação, para proteger os editores;
  • uma exigência de que as plataformas notifiquem editores com antecedência sobre alterações de algoritmo que afetam as classificações do mecanismo de pesquisa ou coleta de dados.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Um dos arquitetos do projeto de lei,  Rod Sims, afirmou ao Financial Times que, embora os congressistas possam chegar a algum meio-termo com o Google e o Facebook (FBOK34), qualquer acordo não deveria permitir que as companhias deem as cartas para os provedores de notícias.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-Dkp-1.png

Google e Facebook vêm atacando nova lei

As duas empresas norte-americanas vem buscando métodos para driblar a aprovação da nova legislação. Além das ameaças de desligar seus serviços, o Google iniciou uma campanha prometendo maior remuneração à imprensa.

Enquanto isso, a companhia de redes sociais disse que poderia bloquear o conteúdos de notícia de circularem em sua plataforma.

De acordo com o jornal britânico, Sims disse que as ameaças do Google destacaram ainda mais a necessidade de um código para negociação junto aos veículos de mídia.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240.jpg

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião