Semana do ESG

Gol (GOLL4) tem alta de 54% na demanda por voos em meio à retomada do setor aéreo

Gol anunciou criação de holding com a Avianca recentemente; entenda

A Gol (GOLL4) teve um mês de junho em crescimento e seguindo a retomada do setor aéreo, com uma oferta de assentos por quilômetros voados (ASK) aumentando em 68,6% na comparação com igual período do ano anterior.

O número consta na prévia operacional da Gol, divulgada na noite desta terça-feira (6).

Segundo o documento, o total de assentos cresceu em 74,1% e o número de decolagens subiu 79,6% no comparativo anual. Além disso, a demanda total (RPK) da GOL aumentou em 54% e a taxa de ocupação foi 76,7%.

A companhia aérea destaca que a alta da oferta também ocorreu no mercado doméstico, com crescimento do ASK em 55,6% ante 40,6% de alta na demanda (RPK).

Já a taxa de ocupação doméstica da Gol foi de 75,7%, enquanto o volume de decolagens aumentou 73,9% e o total de assentos cresceu 68,6%.

A administração não teceu comentários sobre os números.

Dados operacionais da Gol (GOLL4) em junho - Foto: Reprodução/RI/Gol
Dados operacionais da Gol (GOLL4) em junho – Foto: Reprodução/RI/Gol

Vale lembrar que essa melhora nos números da Gol acompanha um cenário nacional majoritariamente positivo. Dados da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) mostram que a oferta de voos domésticos superou, pela primeira vez, o período pré-pandemia.

Em maio, foram 6% a mais de assentos ofertados (ASK), segundo a agência.

A agência mostra que a participação do mercado foi bem dividida entre as três maiores empresas:

Além disso, a Anac registrou 1,2 milhão de pessoas que viajaram para fora do país em maio, a maior movimentação desde fevereiro de 2020.

BTG aposta que ações da Gol irão triplicar

Em relatório recente, os analistas do BTG Pactual (BPAC11) deram um novo parecer sobre as ações GOLL4. Otime de equity research reiterou recomendação de compra para os papéis da companhia aérea após participarem de uma reunião com executivos da companhia.

O BTG projeta um preço-alvo de R$ 31 para as ações da Gol. Se concretizada, essa cotação representaria uma alta de cerca de 250%, mais do que triplicando o atual preço dos papéis GOLL4, que é de R$ 8,74 no fechamento desta terça (5).

A alta inclui as seguintes motivações:

  • A precificação tem sido fundamental para compensar os impactos do aumento dos combustíveis e das taxas de câmbio nas margens
  • O tráfego corporativo apresentou forte recuperação desde fevereiro, suportando o repasse de maiores custos para as tarifas
  • A alavancagem financeira deve retornar gradativamente à sua meta de longo prazo de 3x dívida líquida/EBITDA
  • O guidance para o ano de 2022 foi reafirmado apesar da alta nos preços do petróleo e câmbio, confirmando que o aumento nos custos está sendo compensado por maiores receitas

O BTG Pactual destaca que o a reunião reforçou a “preferência por empresas com maior exposição ao tráfego aéreo nacional”. Segundo o relatório, a companhia possui um valuation mais atraente do que seus pares locais.

A ressalva é que os preços do petróleo e a volatilidade do câmbio “são preocupantes no curto prazo“.

Ainda assim, o desempenho operacional da companhia aérea tem feito os analistas olharem para as ações como promissoras.

“As vendas vêm apresentando bom desempenho e superaram os níveis de 2019, impulsionado por maiores tarifas (refletindo o repasse de câmbio e preços do petróleo), enquanto a oferta está conservadoramente abaixo dos níveis de 2019 para preservar a maior taxa de utilização das aeronaves”, diz o relatório sobre a Gol.

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO