JSRE11 e RBRR11: Veja os 5 fundos imobiliários do IFIX que mais subiram em fevereiro

O IFIX, principal índice de fundos imobiliários da Bolsa de Valores brasileira (B3), encerrou o mês de fevereiro em queda de 0,45%, aos 2.808,39 pontos, registrando o quarto mês seguido sem ganhos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-2.png

A máxima mensal da cotação do IFIX foi observada no dia 1º de fevereiro, aos 2.829,40 pontos. Enquanto isso, a mínima foi alcançada no dia 13, aos 2.774,40 pontos.

O mês de fevereiro foi marcado pela forte valorização dos fundos imobiliários de papel, em meio a continuidade dos juros elevados e inflação subindo acima das expectativas do mercado.

Durante o mês de fevereiro, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) avançou 0,76%. Além disso, o Copom decidiu pela manutenção da taxa Selic em 13,75% ao ano pela 4ª vez seguida.

As receitas dos FIIs de papel tendem a aumentar quando os juros e a inflação se encontram em patamares mais elevados. Assim, há uma perspectiva de melhores resultados mensais e crescimento de rendimentos que podem ser distribuídos.

Isso faz com que o investidor tenha uma maior atenção aos fundos imobiliários de papel nesses momentos, que são FIIs que investem em títulos de renda fixa associados a uma taxa do CDI ou a índices de inflação.

Veja a seguir quais foram as 5 maiores altas entre os fundos imobiliários do IFIX em fevereiro.

Maiores altas do IFIX em fevereiro

  • VSLH11: +18,54%
  • JSRE11: +5,67%
  • RBRR11: +5,45%
  • RBRL11: +5,40%
  • KNHY11: +3,83

VSLH11

O fundo imobiliário VSLH11 liderou os ganhos do mês de fevereiro, com uma valorização de 18,54%. Assim, o FII recuperou parte das perdas registradas no mês de janeiro, quando o preço de suas cotas despencou 22,06%.

Essa queda havia ocorrido após o anúncio de diminuição no pagamento de dividendos do VSLH11 em janeiro. Além disso, pesavam os receios com relação a 10 dos 34 CRIs que fazem parte da carteira do FII.

No entanto, os dividendos do VSLH11 para fevereiro retornaram ao patamar de dezembro, a R$ 0,11 por cota. Após isso, o fundo registrou forte alta nos pregões seguintes.

JSRE11

Outro fundo que se destacou entre as maiores altas de fevereiro foi o JSRE11, com uma valorização de 5,67%.

Vale destacar que o fundo imobiliário JSRE11 vem de uma tendência de baixa desde outubro de 2022, mês em que sua cotação caiu 1,27%.

No mês seguinte, o preço de suas cotas desabou 15,47%. Após desempenho positivo em dezembro de 1,50%, o fundo voltou a cair forte em janeiro, em cerca de 11,25%.

RBRR11

No mês de fevereiro, o fundo imobiliário RBRR11 anunciou seu maior patamar de dividendos desde setembro do ano passado, com aumento de 5,09% em relação ao mês anterior, a R$ 0,95 por cota.

Assim, o FII RBRR11 acumula uma distribuição de R$ 12,02 por cota em proventos nos últimos 12 meses, perfazendo um dividend yield anualizado de 14,00%, segundo o portal Status Invest.

RBRL11

O fundo imobiliário RBRL11 registrou uma valorização mensal de 5,40%, ficando logo atrás do RBRR11.

No mês de fevereiro, o fundo anunciou a distribuição de R$ 0,65 por cota em dividendos, patamar que se repete pelo sétimo mês consecutivo, mostrando que este é um nível recorrente de rendimentos praticado pelo FII até então.

KNHY11

O fundo imobiliário KNHY11, por sua vez, registrou uma valorização de 3,83% em fevereiro. Nos últimos 12 meses, o FII pagou R$ 12,80 por cota em dividendos, o que resulta em um DY anualizado de 13,29%.

No mês de janeiro, o KNHY11 havia registrado queda de 1,45%, revertendo essa baixa no mês seguinte, e se posicionando entre os principais destaques positivos entre os fundos imobiliários em fevereiro.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-1.png

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno