Quais foram as ações e fundos de ações preferidos dos mais ricos em dezembro? Confira investimentos

As carteiras dos investidores mais ricos mantiveram posições em fundos de ações e ações em dezembro. No entanto, segundo estudo da Smartbrain, o comportamento dos acionistas refletiu cautela, e apesar dos sinais de cortes de juros, a renda fixa ainda concentrou grande parte do portfólio.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

Entre os investimentos mais procurados, o comportamento dos mais ricos evidenciou o baixo apetite por risco e a procura por opções menos voláteis, aponta o estudo.

Ao todo, o mercado de ações e fundos de ações concentrou quase 10% da carteira média dos investidores mais ricos do Brasil (de R$ 50 mil a R$ 50 milhões).

Entre as ações preferidas para investir em dezembro, estavam:

  • Banco do Brasil (BBAS3);
  • Vale (VALE3);
  • Prio (PRIO3);
  • Telefônica (VIVT3);
  • B3 (B3SA3);
  • Suzano (SUZB3);
  • Eletrobras (ELET3);
  • Localiza (RENT3);
  • Equatorial (EQTL3);
  • SLC Agrícola (SLCE3).

Além das ações, os fundos de ações se destacaram pela boa diversificação e o mergulho com parcimônia em diversas empresas. Entre eles, o fundo Suno FIC FIA ficou listado como um dos mais investidos pelos mais ricos em dezembro.

No mês, o fundo entregou uma rentabilidade de 7,33%, que no ano acumulou em 37,72%. Entre os fundos pares do mercado, o Suno FIC FIA também se destacou com o maior sharpe, medida que compara o risco e o retorno de um investimento.

Segundo o gerente de Relações com Investidores da Suno Asset, Thiago Villaschi, a diversificação estratégica da carteira, junto à experiente gestão, foi o que assegurou uma maximização dos retornos, assim como a mitigação dos riscos, que parece ser o foco dos investidores, conforme aponta o estudo.

De acordo com Villaschi, a elaboração do portfólio do fundo busca por oportunidades subvalorizadas e se baseia na filosofia sólida de value investing. Além disso, o investimento vem aliado ao respaldo das carteiras de ações da casa, o que permite posicionar os investidores com uma vantagem competitiva.

Sobre o momento de seleção do fundo, no caso do Suno FIC FIA, o gerente de RI salienta que o investidor está participando de uma estratégia que “valoriza o crescimento sustentável, a preservação do capital e a construção de riqueza a longo prazo”.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-2-1.png

Investimentos dos mais ricos em dezembro

De acordo com o levantamento da Smartbrain, com base na plataforma de processamento de investimentos da empresa, as pessoas mais ricas do Brasil investiram majoritariamente em fundos multimercados (38,95%) e na renda fixa (38,67%).

Ao todo, foi observada uma variação ligeira entre as classes de ativos aplicadas, entre novembro e dezembro. É possível observar a composição média da carteira de investimentos dos mais ricos em dezembro de 2023:

  • Ações e fundos de ações: de 9,74% para 9,98%;
  • Renda fixa: de 38,64% para 38,67%;
  • Fundos multimercados: 39,07% para 38,95%;
  • Previdência: de 6,57% para 6,61%;
  • Fundos imobiliários: de 2,03% para 2,09%;
  • Criptomoedas e outros investimentos: de 3,95% para 3,70%.

Ao todo, os dados apresentaram um baixo apetite por risco. Além da renda fixa, o maior concentrador de investimentos, os fundos multimercados ainda permitem uma exposição maior a outras variáveis do mercado.

A análise incluiu mais de R$ 250 bilhões de patrimônio, com os mais de 340 mil extratos de investimentos processados diariamente pela empresa. Foram analisadas as carteiras de investidores ricos das seguintes classes:

  • Varejo: a partir de R$ 50 mil até R$ 300 mil, representando 26,29% do total;
  • Alta renda: entre R$ 300 mil até R$ 3 milhões, 41,91%;
  • Private: entre R$ 3 milhões até R$ 50 milhões, 28,32%;
  • Ultra high: com mais de R$ 50 milhões, representam 3,47% do total.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Camila Paim

Compartilhe sua opinião