Fed: atividade econômica desacelerou desde outubro, mostra Livro Bege

A atividade econômica dos Estados Unidos desacelerou desde outubro de 2023 e as perspectivas para os próximos seis a 12 meses caíram, segundo informam empresários consultados pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) para o Livro Bege. O documento é uma espécie de sumário das condições econômicas do país e serve de base para as decisões de política monetária do BC dos EUA.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

Segundo o relatório do Fed, o crédito ao consumo se manteve saudável, mas alguns bancos registraram alta das inadimplências.

A pesquisa do Fed indicou ainda que a atividade industrial foi mista, mas alertou que a perspectiva das indústrias enfraqueceram.

O Livro Bege destacou que as vendas no varejo ficaram mistas e as de itens discricionários e bens duráveis diminuíram, à medida que a pressão de preços pesa nos consumidores.

Já a atividade imobiliária comercial dos EUA continuou a abrandar e “vários distritos observaram ligeira queda nas vendas residenciais e maiores estoques de casas disponíveis”.

Fed: mercado de trabalho

A procura de mão de obra continuou diminuindo nos Estados Unidos, uma vez que a maioria dos distritos reportou aumentos estáveis a modestos no emprego global, segundo avaliação do Livro Bege. De acordo com o documento, a maioria dos distritos informou que havia mais candidatos disponíveis e vários observaram que a retenção também melhorou.

No entanto, vários distritos continuaram descrevendo os mercados de trabalho como apertados, com escassez de trabalhadores qualificados. O crescimento salarial permaneceu modesto a moderado na maioria dos distritos, uma vez que muitos descreveram uma diminuição das pressões salariais e vários relataram descidas nos salários iniciais.

Por sua vez, persistiram algumas pressões salariais e houve alguns relatos de dificuldades contínuas em atrair e reter profissionais de elevado desempenho e trabalhadores com competências especializadas, relata o Livro Bege.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-2-1.png

Alta de preços se moderou em grande parte dos distritos avaliados pelo Fed

Os aumentos de preços se moderaram em grande parte dos distritos avaliados pelo Livro Bege do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano). Segundo a publicação, o movimento ocorre embora os preços tenham permanecido elevados.

Os custos de frete e remessa diminuíram para muitos, enquanto o custo de vários produtos alimentícios aumentou, indica a pesquisa divulgada nesta quarta-feira, 29.

Dois distritos citaram o aumento do custo da dívida como um impedimento ao crescimento dos negócios, segundo o Livro Bege.

A maioria dos distritos espera que aumentos moderados de preços continuem no próximo ano, diz a publicação.

Juros estão em nível para aguardar novos dados antes de decidir como agir, diz dirigente do Fed

A presidente da distrital de Cleveland do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Loretta Mester, disse nesta quarta-feira, 29, que a inflação ainda vai demorar um bom tempo para retornar à meta de 2% ao ano, mas que o nível de juros atual está no ponto ideal para que a autoridade monetária aguarde a divulgação de novos dados antes de decidir como agir.

Em discurso no Centro George G. Kaufman para Estudos de Política Financeira, Mester disse que ainda há uma parte dos apertos monetários anteriores que ainda deve ser transmitida para a economia.

Ela pontua que houve uma série de progressos visíveis na redução da inflação, mas não houve queda no crescimento do país, o que é positivo.

Porém, ela alerta que apesar das coisas estarem caminhando no “rumo correto”, tensões geopolíticas no Oriente Médio e na Ucrânia precisam permanecer no radar do BC americano, assim como o recente esfriamento na economia chinesa, que pode prejudicar a demanda global.

Testes de estresse

De acordo com a dirigente do Fed, a instituição precisa tornar seus testes de estresse bancário mais rigorosos para detectar possíveis novas vulnerabilidades, não só de crédito, mas também de liquidez e de taxas de juros.

Segundo ela, apesar de menores desde março deste ano, os riscos de financiamento para os bancos continuam muito elevados. Mester avalia que, em resposta, é preciso aumentar parte do capital dos bancos, apesar de que “aumentar demais pode ser contraproducente”.

A dirigente do Fed foi favorável também a tomar novas medidas para empresas e mercados financeiros não bancários, e disse que a proposta de capital de Basileia III está alinhada com o que há de mais seguro para os sistemas bancários e não bancários, a fim de prepará-los a novos choques.

Com Estadão Conteúdo

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Redação Suno Notícias

Compartilhe sua opinião