EUA classificam formalmente Huawei e ZTE como ameaças à segurança nacional

EUA classificam formalmente Huawei e ZTE como ameaças à segurança nacional
A Huawei já figurou como maior fabricante de smartphones do mundo, mas atualmente sofre com sanções dos EUA. Foto: Divulgação Huawei

A Comissão Federal de Comunicações (FCC, em inglês) dos Estados Unidos classificou, na última terça-feira (30), formalmente as gigantes da China Huawei e ZTE como ameças à segurança nacional.

“Não podemos e não permitiremos que o Partido Comunista chinês explore vulnerabilidade de rede [com a Huawei e ZTE] e comprometa nossa infraestrutura crítica de comunicações”, disse o presidente da FCC, Ajit Pai.

A classificação formal proíbe as empresas norte-americanas usarem um fundo governamental de US$ 8,3 bilhões (R$ 45,1 bilhões) para comprar equipamentos das gigantes asiáticas.

Suno One: o primeiro passo para alcançar a sua independência financeira. Acesse agora, é gratuito!

Geoffrey Starks, um dos membros da comissão, disse que “equipamentos não confiáveis” vão permanecer funcionado até que o Congresso dos EUA aloque financiamento para a substituição de equipamentos.

No ano passado, em mais um capítulo da guerra comercial entre as duas maiores economias, o presidente Donald Trump havia colocado a Huawei na lista de ameças à segurança do país.

EUA afirmam que Huawei está perdendo contratos de 5G no mundo

O governo dos EUA afirmou que a chinesa Huawei tem perdido contratos de fornecimento de 5G ao redor do mundo.

“A maré está se voltando contra a Huawei à medida em que cidadãos de todo o mundo estão acordando para o perigo do estado de vigilância do Partido Comunista Chinês. Os acordos da Huawei com operadoras de telecomunicações em todo o mundo estão evaporando porque os países estão permitindo apenas fornecedores confiáveis em suas redes 5G”, disse o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, em comunicado.

Veja Também: EUA tenta convencer Reino Unido a não usar 5G da Huawei

De acordo com a agência de notícias “Bloomberg”, a campanha norte-americana contra a Huawei tem surtido efeito. O Reino Unido reavalia a escolha da chinesa enquanto operadoras na Dinamarca e Cingapura optaram por outros provedores para suas redes de telecomunicações.

A nota do secretário informa também que a República Tcheca, Polônia, Suécia, Estônia, Romênia, Letônia e Grécia concordaram em usar a Ericsson em vez da Huawei para desenvolverem a infraestrutura 5G.  Além disso, Pompeo citou que a Telefónica Deutschland. controladora da Vivo (VIVT4) no Brasil, “estará sem equipamentos de fornecedores não confiáveis”.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores Fundos Imobiliários

Baixar agora!