Semana do Fiagro

Etna vai fechar as portas e anuncia queima total de estoques, com descontos de até 90%

Etna vai fechar as portas e anuncia queima total de estoques, com descontos de até 90%
Foto: loja Etna - divulgacao

A rede de decoração e móveis Etna anunciou nesta sexta-feira (25) que “está programando o encerramento de suas atividades”, após 17 anos de atuação no mercado.

A Etna atua hoje com quatro lojas físicas e uma plataforma de comércio eletrônico. Os pontos de venda serão encerrados gradativamente até o fim do primeiro semestre, enquanto a loja da Avenida Berrini, em São Paulo, e o site da companhia continuarão vendendo até o esgotamento dos estoques.

A empresa enviou a clientes, via e-mail, um comunicado de encerramento de atividades, seguido do anúncio de uma queima total de estoques, com descontos de até 90%.

Na nota em que confirma o processo de encerramento dos negócios, a Etna afirma que “pertence a um grupo empresarial de sucesso no varejo e irá descontinuar suas operações da melhor forma possível, cumprindo com todos os seus compromissos perante seus colaboradores, clientes, fornecedores e prestadores de serviço”.

A desistência do negócio vem depois de mais de uma década em que a empresa tenta fazer o projeto de concorrer com gigantes como a Tok&Stok dar certo. A Etna foi oferecida a vários investidores ao longo do tempo, sem sucesso.

Etna desmonta aos poucos

A empresa já vinha fechando lojas desde agosto do ano passado, além de manter as unidades restantes com prateleiras esvaziadas, enquanto não encontrava compradores para o negócio.

Desde o início da pandemia, a Etna passa por dificuldades. As primeiras unidades encerradas foram de Belo Horizonte e em Campo Grande, depois o movimento chegou a Recife, Fortaleza e Salvador.

De acordo com o Jornal do Commercio, a Etna organizou uma queima de estoque nas lojas de Recife e Fortaleza para finalizar as unidades. Na época, a companhia afirmou que essas unidades estavam com vendas inferiores às dos últimos anos, gerando uma frustração para a empresa em 2021.

O grande vilão foi a pandemia. “Mesmo após a reabertura do comércio pelas autoridades, o fluxo de visitantes nas lojas não voltou aos patamares anteriores”, disse a Etna em nota à imprensa.

Com informações de Estadão Conteúdo

Monique Lima

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO