Elon Musk confirma nova CEO do Twitter; Veja quem foi escolhida pelo bilionário

Elon Musk confirmou que a nova CEO do Twitter é Linda Yaccarino, uma executiva com fortes laços na indústria de publicidade.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

Yaccarino trabalhou na NBCUniversal por quase 12 anos, com seu time gerando mais de US$ 100 bilhões em vendas de propagandas desde 2011, segundo a companhia. Antes da NBC, Yaccarino trabalhou na empresa de entretenimento Turner por quase duas décadas, segundo o LinkedIn.

A então diretora de propaganda da NBCUniversal, Linda Yaccarino, já estava em negociações para se tornar a nova CEO do Twitter, conforme apuração do Wall Street Journal entre pessoas familiarizadas com a situação. Yaccarino trabalhou na NBCU por mais de uma década, onde tem atuado como uma defensora da indústria para encontrar melhores maneiras de medir a eficácia da publicidade.

Yaccarino pode ajudar a restaurar a fé dos anunciantes no Twitter, disse o fundador da agência de publicidade DiGo, Mark DiMassimo. “Mesmo que haja ceticismo, se de fato de ela for ao Twitter, será um movimento poderosamente reconfortante”, disse DiMassimo.

Analistas que acompanham Twitter saudaram a notícia de mudança de CEO antes mesmo de saber quem seria o substituto. Os negócios de publicidade do Twitter sofreram sob Elon Musk.

“Estou animado em anunciar que contratei uma nova CEO para o Twitter. Ela começará em seis semanas”, declarou Musk, em um tweet. “Meu cargo será alterado para presidente executivo e diretor de tecnologia (CTO), supervisionando produtos, software e sysops”.

Em abril, investidores fizeram uma carta exigindo que Elon Musk, no papel de CEO da Tesla, ampliasse seu comprometimento com a gestão da fabricante de veículos elétricos, após a companhia ter revelado queda amarga no lucro do primeiro trimestre de 2023.

A Barron’s aponta ainda que, antes de Elon Musk assumir o Twitter, os papéis da Tesla valiam cerca de US$225 por ação, mas encerraram o ano passado valendo cerca US$ 123, uma queda de 45%. A revista analisa que deixar a liderança da rede social pode significar também que os negócios se estabilizaram e diminuir a pressão para que o empresário venda ações da Tesla para financiar a plataforma.

(Com informações de Estadão Conteúdo)

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-2-1.png

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião