Elon Musk sugere cobrança de mensalidade no X, antigo Twitter

Em conversa com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, o empresário e homem mais rico do mundo, Elon Musk, sugeriu uma cobrança pequena de mensalidade na plataforma X, antigo Twitter – comprado ainda em meados de outubro de 2022.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

“Na verdade, vamos propor um preço mais baixo. Queremos que seja apenas uma pequena quantia”, disse Elon Musk em conversa com o ministro que foi transmitida ao vivo nesta terça-feira (19).

Atualmente o X já cobra mensalidade dos usuários premium – cerca de R$ 60 no Brasil -, permitindo tweets com mais caracteres, selo de conta verificada e outros benefícios.

Musk novamente utilizou os bots e contas falsas para justificar a medida.

Segundo o magnata, pagar uma quantia pela conta inviabilizaria a criação de bots e contas similares.

“Um bot [robô] custa uma fração de centavo para ser feito. Mas, se alguém tiver que pagar alguns dólares ou algo assim, o custo efetivo para [fazer] os bots fica muito alto”, disse o empresário.

“Essa é uma longa discussão, mas, em minha opinião, essa é a única defesa que temos contra os exércitos de bots”, acrescentou.

Ainda há um receio de que a medida possa reduzir drasticamente a quantidade de usuários da plataforma.

Além disso, pode, por consequência, reduzir a receita publicitária gerada – que vem sendo cada vez menor, apesar de ainda representar a maior fonte de receita da companhia.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-2-1.png

Netanyahu pede a Elon Musk ‘pressão sobre antissemitismo no X’

Durante a conversa, o primeiro-ministro de Israel destacou que espera pressão por parte da rede social em conter publicações relacionadas ao antissemitismo.

Vale destacar que Musk comprou e assumiu as rédeas do antigo Twitter prevendo grandes mudanças sobre as diretrizes de liberdade de expressão da companhia.

“Espero que você encontre, dentro dos limites, a capacidade de parar não apenas com o antissemitismo, mas com qualquer ódio coletivo às pessoas que o antissemitismo representa”, disse Netanyahu.

“Sei que você está comprometido com isso”, acrescentou.

Recentemente a plataforma foi acusada pelo grupo Liga Antidifamação (ADL) de não tomar medidas suficientes para impedir a divulgação de conteúdo antissemita.

Musk, em comunicado, destacou que está ‘se esforçando para limpar o nome da plataforma’.

Além disso, recentemente o empresário fez uma publicação justamente falando sobre o tema ao responder uma charge criticando as políticas atuais da rede, associando-a a liberdade na publicação de conteúdo antissemita.

“Correndo o risco de afirmar o óbvio, não sei o que se passa com cada parte desta plataforma o tempo todo, mas a nossa política a nível mundial é lutar pela máxima liberdade de expressão perante a lei”, disse.

“Qualquer pessoa que trabalhe para a X Corp e não opere de acordo com este princípio será convidada a prosseguir a sua carreira em qualquer uma das outras empresas de redes sociais que vendem a sua alma por um dinheirinho”, completou Elon Musk.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião