Elon Musk afirma que deixará o comando do Twitter, após enquete

Elon Musk disse que vai deixar de ser presidente do Twitter quando encontrar “alguém tolo o suficiente” que queira assumir a função. A declaração foi feita em sua conta da rede social, na noite desta terça-feira (20).

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-1.png

Caso deixasse a presidência do Twitter, Elon Musk diz que comandaria somente as equipes de software e servidores.

O bilionário e CEO da Tesla e SpaceX ainda criou uma enquete questionando se os usuários do Twitter apoiavam ou não sua saída do comando da rede social. “Vou respeitar os resultados”, diz.

A enquete contou com a participação de 17,5 milhões de usuários do Twitter, tendo como resultado 57,5% a favor de que Elon Musk deixasse de ser “chefe” da rede social e 42,5% contrários à sua saída.

Após a votação ter sido encerrada, o bilionário ainda publicou: “Como diz o ditado, cuidado com o que você deseja, pois você pode conseguir”. Posteriormente acrescentou: “Quem quer poder é quem menos merece”.

No último domingo (18), Elon Musk respondeu uma publicação afirmando que “ninguém quer o trabalho que pode realmente manter o Twitter vivo”, e que, dessa forma, não existiria um sucessor.

Contas suspensas do Twitter

Algumas contas vêm sendo suspensas do Twitter nos últimos dias, inclusive aquelas associadas ao rastreio de aviões de algumas personalidades bilionárias, como do próprio Elon Musk.

Além disso, alguns jornalistas dos EUA, como do Washington Post e New York Times, também tiveram suas contas suspensas.

Na lista de contas que também podem ser tiradas do ar estão:

  • Instagram
  • Mastodon
  • Facebook
  • Mastodon
  • Tribel
  • Truth Social
  • Post
  • Nostr

Nesse caso, o motivo seria porque o Twitter proibiu que os usuários postem links para outras redes sociais.

Além de vedar publicações que levem a outras redes, a nova regra do Twitter também prevê a suspensão de contas que publicarem prints que promovam essas plataformas.

Elon Musk vai procurar um novo líder para o Twitter?

Após diversas idas e vindas com relação ao fechamento do negócio, Elon Musk confirmou a compra do Twitter em 27 de outubro de 2022, pelo valor de US$ 44 bilhões.

Uma das primeiras medidas adotadas pelo novo CEO do Twitter foi a demissão de executivos de alto escalão. Além disso, as demissões em massa também chegaram a milhares de outros funcionários da companhia.

Em meados de novembro, o bilionário disse no tribunal Delaware que espera diminuir seu tempo no Twitter, e que, depois de encerrar seu processo de reestruturação organizacional na empresa, poderia eventualmente procurar por um novo líder para administrá-la.

A afirmação ocorreu em meio a sua defesa contra as acusações de que o pacote de pagamento na Tesla de US$ 56 bilhões teria sido aprovado por um conselho de diretores submisso, e que teria levado como base metas de performance supostamente fáceis de alcançar.

Suas falas também ocorreram após o aumento da insatisfação de investidores da Tesla, que ficaram preocupados com o tempo que o bilionário estaria utilizando no comando do Twitter.

Elon Musk explica que haveria uma “explosão” inicial de atividade necessária depois da compra realizada, visando reorganizar a companhia, mas que espera reduzir seu tempo no Twitter.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240_TEXTO_CTA_A_V10.jpg

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião