PROVENTOS

Patrocinado por:

Após atingir menor valor em 4 meses, dólar continua a cair, mas não deve chegar a R$ 5

Após atingir menor valor em 4 meses, dólar continua a cair, mas não deve chegar a R$ 5
Dólar. Foto: Pixabay

O dólar permanece em queda nesta sexta-feira (7), seguindo a tendência vista ao longo das últimas semanas. No fim de março, a moeda chegou próxima dos R$ 5,80, e desde meados de abril o câmbio vem recuando.

Após ontem o dólar encerrar o dia no menor valor em quase quatro meses, a R$ 5,27, ele segue em baixa. O câmbio apresenta hoje na abertura, às 11h30, queda de 1,04%, negociado a R$ 5,22. Na análise do responsável pela Mesa de Câmbio da Terra Investimento, Vanei Nagem, a moeda deve permanecer em queda nos próximos dias, mas não é provável que chegue ao patamar de R$ 5.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

“Eu não acredito que no curto e médio prazo o dólar chegue a R$ 5. Ele vai brigar por muito tempo entre R$ 5,10 e  R$ 5,30 antes de buscar os R$ 5. Isso porque nós temos um momento político muito ruim, muito delicado, então você tem certos fatores que limitam essa queda”, analisou Nagem.

Para o especialista, essa queda ao longo das semanas é explicada pelo exterior favorável, pela decisão da taxa básica de juros (Selic) e pela entrada de dólar no País. Porém, em algum momento, a moeda deve avançar ante o Real.

O fluxo cambial no Brasil ficou positivo em quase US$ 4 bilhões em abril, puxado pela conta comercial, o que elevou o saldo no ano para mais de US$ 12,7 bilhões, conforme mostraram os dados do Banco Central na quarta-feira (5).O superávit no mês passado foi de US$ 3,990 bilhões, primeiro saldo positivo para o período desde 2018 (US$ 14,394 bilhões).

“O dólar vem caindo há semanas e acreditamos que em algum momento ele deve cansar e essas entradas devem diminuir um pouco”, analisou Nagem.

Dólar hoje de olho no Payroll e CPI da Covid

O que deve movimentar a moeda hoje, segundo o especialista, são os dados de empregos dos Estados Unidos (Payroll) e a CPI da Covid.

Os EUA criaram 266 mil vagas de trabalho em abril, de acordo com o relatório divulgado pelo Departamento do Trabalho, indicando uma criação de empregos muito menor do que a expectativa dos economistas consultados pelo “The Wall Street Journal”, de 1 milhão de postos no mês. “Hoje tivemos Payroll abaixo do resultado, o que ajudou o mercado cair”, apontou Nagem.

A previsão é que no dia de hoje o dólar permaneça caindo, mas com foco na CPI da Covid. “O câmbio deve permanecer em queda no dia de hoje, a não ser que aconteça alguma coisa que reverta muito radicalmente. De olho na CPI da Covid, que pode sair alguma declaração contra o governo mais forte”, concluiu o especialista.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião