Dívida da Americanas (AMER3) com grandes bancos é revisada de R$ 13,1 bilhões para R$ 15,2 bilhões

A nova lista de credores do processo de recuperação judicial da Americanas (AMER3) atualiza a dívida total da varejista com os cinco maiores bancos do País, de R$ 13,1 bilhões para R$ 15,2 bilhões. A maior alteração ocorreu na dívida da empresa com o Itaú Unibanco, que passou de R$ 2,9 bilhões para R$ 4,3 bilhões.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-Dkp-1.png

A revisão dos números do Itaú incorpora as aplicações em fundos geridos pelo banco. Na primeira planilha, publicada em 25 de janeiro, o Itaú e seus fundos eram listados em seis ocorrências diferentes. Na nova lista de credores da Americanas, aparecem em 13 ocorrências.

A varejista também atualizou a sua dívida com o Bradesco, de R$ 4,8 bilhões na primeira lista para R$ 5,2 bilhões nesta edição. As dívidas da Americanas com o Santander (SANB11) são de R$ 3,6 bilhões, com Banco do Brasil (BBAS3) de R$ 1,6 bilhão e Caixa Econômica Federal de R$ 500 milhões. Esses valores não sofreram alterações significativas entre as duas listas.

Na nova lista, a Americanas corrigiu o valor da sua dívida com o BV, de R$ 3,3 bilhões para R$ 207 milhões, após o banco ter pedido na Justiça a correção do montante. A varejista ainda informou uma dívida de R$ 3,5 bilhões com o BTG Pactual e de R$ 2,527 bilhões com o Banco Safra. O Deutsche Bank aparece na lista como credor de R$ 5,267 bilhões, mas já argumentou que o valor corresponde a títulos de dívida (bonds) que guarda para investidores que compraram os papéis no exterior, sem exposição de crédito com a varejista.

Americanas revisa dívidas com terceiros de R$ 41,056 bilhões para R$ 42,290 bilhões

A nova lista de credores da Americanas também traz um montante de dívidas com clientes de classe III, que representam as dívidas com terceiros, de R$ 42,290 bilhões – acima dos R$ 41,056 bilhões que constavam na primeira versão da lista, publicada em 25 de janeiro.

Na nova relação, a varejista revisou de R$ 3,2 bilhões para R$ 206,881 milhões a sua dívida com o BV. O banco havia pedido na Justiça a correção da lista de credores da Americanas, argumentando que a sua exposição à empresa era próxima de R$ 207 milhões.

Como mostrou o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, a expectativa já era de que a primeira lista apresentada pela Americanas não fosse definitiva, já que a empresa teve pouco tempo para preparar as informações.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240.jpg

(Com informações de Estadão Conteúdo)

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião