Grana na conta

Os principais cuidados para se ter em redes sociais em tempos de eleição

Com as eleições vem também um período de debate acalorado e público, principalmente nas redes sociais. Frequentemente, vemos notícias de alguem que perdeu o emprego por dizer coisas em suas redes que não deveriam ter dito.

Quais são os cuidados, então, que os jovens devem ter a fim de utilizar as redes sociais sem arriscar comprometer sua vida profissional? Para a gerente executiva da empresa especializada em recrutamento de profissionais para programas de trainee Page Talent, Ariane Israel, em 2018 ninguém tem mais a chance de viver um mundo sem contato com as redes sociais. Por isso, é necessário se policiar.

“Empresas, formadores de opinião, colegas, professores, contatos de networking, etc. Hoje todos estão conectados de forma inédita no Brasil e no mundo. Na vida moderna as informações pessoais se confundem com a reputação profissional, para o bem e para o mal. É algo que precisa ser encarado de modo mais maduro aqui no país, em especial em momentos mais tensos, como o das eleições que se aproximam”, aponta Israel.

Em ano de eleição, a política se torna o assunto mais discutido, seja presencialmente ou virtualmente. Ariane esclarece que não há nenhum problema em discutir política e se engajar com isso na internet, desde que se mantenha o respeito.

“Falar de temas políticos denota maturidade, preocupação e até senso de respeito com o ambiente público. O que incomoda são as ofensas. Não acredito que um jovem possa se prejudicar por defender paixões políticas, ou simplesmente criticar ideias de governos ou até mesmo por não se interessar pelo tema”, explica Israel. “O que não traz resultados é o desrespeito com as ideias alheias. Aliás, isso pode estragar até mesmo o melhor ambiente de trabalho. Vale a reflexão. O momento eleitoral pode aflorar críticas excessivas”, diz ainda.

A Page Talent produziu uma série de apontamentos destinados a jovens profissionais que querem saber como se portar nas redes sociais de forma a manter uma boa imagem com os empregadores:

Vale curtir:

  • Conteúdo que exprime suas verdades pessoais
  • Páginas/pessoas/campanhas de opiniões diferentes da sua;
  • Páginas/projetos de causas sociais/planetárias (não importa a ideologia);
  • Cultura, esportes, bem-estar, autoconhecimento;
  • Críticas sociais, denúncias e campanhas (desde que não ofendam ninguém);
  • Marcas e empresas que você admira;

Segundo a gerente, mostrar valores, crenças e paixões é válido. “As redes sociais podem ser ótimos canais para a expressão de elementos de diversão, bom-humor e empatia. Nesse ponto, temos uma rede de divulgação muito favorável ao crescimento pessoal”, afirma.

Vale compartilhar:

  • Denúncias contra as fake news;
  • Vídeos ou textos de fontes confiáveis;
  • Páginas/projetos de causas sociais;
  • Campanhas de temas e dados verdadeiros;
  • Grupos de estudo e eventos culturais;
  • Serviços e informações que podem ajudar o próximo;

“Pessoas que sabem compartilhar o melhor de si com os outros são mais interessantes, isso dentro ou fora das redes sociais. É legal compartilhar conteúdos que podem fazer bem às pessoas à nossa volta”, comenta a especialista.

Não deve ser compartilhado:

  • Páginas que praticam fake news;
  • Vídeos de conteúdo maldoso, racista e com ofensas pessoais;
  • Páginas/Pessoas que ofendem religiões;
  • Postagens de “humor” para temas delicados (vale a pena ofender alguém?)
  • Postagens antigas que não combinam mais contigo (essa reflexão é pessoal)
  • Fotos/vídeos/memes que podem ofender colegas de trabalho (avalie de forma honesta)

“Cada um tem total direito de se expressar nas redes sociais. Mas esteja atento ao que você está comunicando”, afirma Israel.

Postagens que, se existirem, devem ser apagadas o quanto antes:

  • Ofensa religiosa;
  • Racismo de qualquer natureza;
  • Homofobia;
  • Machismo;
  • Links para download de conteúdo duvidoso e ofensivo;
  • Qualquer culto à violência;

“Não dá mais para levar na brincadeira qualquer forma de violência, abuso, discriminação, etc. Use suas redes sociais como uma central de qualidade, mantenha por perto o que te faz bem e te faz crescer. Não seja um canal de influência para páginas ou pessoas que não estão respeitando o mundo e a sociedade”, explica Israel.

Daniel Quandt

Compartilhe sua opinião