Congressistas da Alemanha tem salário cortado por causa do Covid

Congressistas da Alemanha tem salário cortado por causa do Covid
Alemanha

Os parlamentares da Alemanha tiveram seus salários reduzidos por causa do efeito do novo coronavírus (covid-19) na economia do país europeu.

Na Alemanha os salários dos 709 membros do Bundestag (a Câmara dos Deputados alemã) é indexado as remunerações médias de todos os trabalhadores alemães.

Uma vez que este indicador ao longo de 2020 apontou para baixo, ainda que ligeiramente, os membros do Bundestag também tiveram que pagar as consequências.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

O escritório central de estatísticas da Alemanha anunciou que a queda foi de 0,6%, resultando no corte da mesma proporção nos salários dos políticos.

Cabe salientar que o atual presidente do Budestag é o ex-ministro da Economia Wolfgang Schauble, considerado um “falcão” da contas públicas e rígido defensor de seu equilíbrio.

Com isso, a partir de julho, os políticos verão seu salário reduzido em cerca de 60 euros (cerca de R$ 400) por mês. Um corte quase imperceptível em um salário superior a 10 mil euros por mês, mas que tem uma forte simbologia nesse momento tão difícil para a economia alemã e mundial.

Primeiro corte salarial para políticos na Alemanha

Segundo a mídia local, esta é a primeira vez que os salários dos parlamentares são reduzidos desde o fim da Segunda Guerra Mundial.

Nem mesmo durante a crise financeira de 2008 os salários dos políticos foram modificados.

Entretanto, a questão de uma redução salarial já apareceu no debate público da Alemanha.

Em maio passado, como forma de demostrar sua solidariedade aos cidadãos que perderam seus empregos, os parlamentares haviam decidido renunciar ao reajuste de suas remunerações, que na base do mesmo índice tinham que aumentar de 2,6% graças aos aumentos dos salários dos trabalhadores do ano anterior.

Mas já surgem as primeiras polêmicas. Mas em direção contrária ao que se pensaria.

Segundo o constitucionalista Hans Herbert von Arnim, a redução das indenizações “está prevista em lei, e também está atrasada, considerando os imensos custos do Bundestag”.

Ou seja, mesmo com o corte dos salários, os políticos da Alemanha continuam alvos de críticas.

Carlo Cauti

Compartilhe sua opinião