Reinaldo Le Grazie

Admirável Mundo Novo

Mesmo estando melhor que há 10 anos, a economia brasileira não se moderniza na velocidade que seria possível

O ambiente global continua mostrando sinais de vigor na retomada da atividade econômica no pós-vacinação. Economias avançadas que reagiram com mais determinação no combate à pandemia se saem melhor nesse momento.

Enquanto o isolamento social e mudanças de hábitos aceleram a procura por insumos específicos, a oferta está prejudicada não só pela pandemia, mas também pela geopolítica. Semicondutores, sensores e eletrônicos talvez sejam os melhores exemplos.

Os gargalos na oferta e logística também impulsionam o preço de commodities em geral sendo que as agrícolas têm, adicionalmente, o impacto do atual clima seco, que reduz a produção. Portanto, há pressão de alta de preços de maneira mais ou menos sincronizada no mundo e, para evitar que essa inflação se propague para outros setores, a política monetária deverá ser mais restritiva. Cada país reagirá de acordo com suas forças e possibilidades nesse cenário, sendo que o desemprego ainda alto aliado à mudança nos hábitos de consumo trazem mais dúvidas sobre os próximos passos.

Produtos que o Brasil produz e exporta vivem um ciclo super favorável e a previsão de baixo déficit em conta corrente permite a continuação da apreciação do Real iniciada em abril, assim como a redução na inclinação das taxas de juros. Temos excelentes empresas brasileiras que estão atraindo recursos estrangeiros e os índices de ações estão subindo. Companhias com estrutura de capital adequada e que se aproveitam mais da tecnologia disponível estão em posição privilegiada. Capacidade de adaptação, agilidade e visão de negócios ampliada definem quem são vencedores nesse admirável mundo novo.

Nesse ambiente de inovações frenéticas muita coisa está acontecendo; uma revolução no setor espacial, exploração em Marte, carros voadores, internet das coisas, 5G, telemedicina e cidades inteligentes viraram notícias corriqueiras e abriram novas fronteiras na ciência e nos negócios. Há simbiose entre a academia, e os setores público e privado, o que possibilita acelerar a transformação digital A famosa NASA alterou algumas diretrizes internas para fazer acordos com empresas privadas, ampliando seu alcance, sendo que o projeto para Vênus já está em andamento.

No Brasil, alguns setores e empresas de ponta se modernizam e evoluem muito bem. Um excelente exemplo é o setor agrícola, que inova e se destaca no uso da tecnologia; a produtividade avança 4% a.a. nos últimos 20 anos e precisa avançar na produção de produtos com maior valor agregado. Porém, em termos relativos, o país não consegue acompanhar a evolução tecnológica global e ainda briga contra algumas leis básicas da natureza. Assim, mesmo estando melhor que há 10 anos, em termos comparativos, a economia brasileira não se moderniza na velocidade que seria possível.

Reinaldo Le Grazie

Compartilhe sua opinião