Ex-Cesp (CESP6), atual Auren Energia (AURE3), tem prejuízo de R$ 52,2 mi no 4T21 por custos com estiagem

Ex-Cesp (CESP6), atual Auren Energia (AURE3), tem prejuízo de R$ 52,2 mi no 4T21 por custos com estiagem
Ex-Cesp (CESP6), atual Auren Energia (AURE3). Foto: Divulgação.

A compra de energia no quarto trimestre de 2021 trouxe imapcto significativo para o balanço contábil da antiga Companhia Energética de São Paulo, ex-Cesp (CESP6), atual Auren Energia (AURE3). No último trimestre do ano passado, os custos da empresa saltaram 67% na comparação anual, o que resultou em um prejuízo líquido de R$ 52,2 milhões.

A partir do pregão desta segunda-feira (28), a empresa passa oficialmente a se chamar Auren Energia e seus papéis serão negociados na B3 (B3SA3) sob o ticker AURE3.

De acordo com dados financeiros divulgados nesta segunda-feira (28), a empresa teve prejuízo líquido de R$ 52,2 milhões entre outubro e dezembro de 2021. Em comparação, o resultado no mesmo período de 2020 havia sido positivo em R$ 1,60 bilhões.

No acumulado do ano, a antiga Cesp registrou lucro de R$ 440,9 milhões em 2021, queda de 75% em relação ao ano anterior de R$ 1,7 bilhões.

Por um lado, a receita operacional bruta avançou no período: alta de 25% no comparativo entre o quarto trimestre de 2020 e mesmo período de 2021, de R$ 581,8 milhões para R$ 724,9 milhões. No acumulado do ano, a alta foi de 18%, de R$ 2,2 bilhões para R$ 2,6 bilhões.

Por outro lado, também avançaram os custos. No quarto trimestre houve alta de 67%, de R$ 328,1 milhões para R$ 549,4 milhões, diferença de 67%.

Segundo a Cesp, a diferença é explicada, principalmente, “pela maior compra de energia no período e impacto trazido pela atualização de provisão do contencioso passivo e do passivo atuarial na despesa financeira”.

Em 2021, a perspectiva de estiagem e diminuição dos reservatórios de usinas hidrelétricas no segundo semestre levaram ao acionamento das usinas termelétricas, mais custosas e prejudiciais às metas de descarbonização.

Quando se somam os quatro trimestres, entretanto, os custos tiveram redução no comparativo anual. Em 2020, as despesas somaram R$ 1,1 bilhões, valor que caiu 12% em 2021, para R$ 973,2 milhões.

“O ano de 2021, ainda que bastante desafiador em termos hidrológicos, foi marcado por muitas conquistas para a CESP. Avançamos em uma série de projetos fundamentais para garantia de um futuro sustentável para o negócio que a Companhia passa a contribuir a partir de agora, com a formação da nova empresa, a Auren Energia”, informou a antiga Cesp.

Pedro Caramuru

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO