Caixa lucra R$ 3,2 bilhões no 3T21, alta de 69,7%, com IPO da Caixa Seguridade (CXSE3) e crescimento de empréstimos

Caixa lucra R$ 3,2 bilhões no 3T21, alta de 69,7%, com IPO da Caixa Seguridade (CXSE3) e crescimento de empréstimos
Prédio da Caixa Econômica, em Brasília. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Caixa Econômica Federal (CEF) registrou lucro líquido de R$ 3,207 bilhões no terceiro trimestre de 2021, conforme resultado financeiro divulgado na manhã desta quinta-feira (18).

A Caixa, assim, aumentou em 69,7% o seu lucro em relação ao mesmo período de 2020, embora tenha apurado queda de 48,8% ante o segundo trimestre deste ano.

Segundo a estatal, esse resultado foi influenciado pela abertura de capital (IPO) da Caixa Seguridade (CXSE3), braço de seguros do banco público, que rendeu ganho de R$ 3,3 bilhões.

Segundo o balanço da Caixa, no acumulado dos nove primeiros meses de 2021, o lucro totalizou R$ 14,1 bilhões, aumento de 87,4%.

A carteira de crédito ampliada do banco público encerrou o terceiro trimestre em R$ 842,3 bilhões, crescimento de 11,3% em um ano.

No demonstrativo de resultados, o banco destaca que entre julho e setembro concedeu R$ 118,1 bilhões em crédito para a população, crescimento de 8,5% em relação ao segundo trimestre.

Caixa aumentou 70% dos empréstimos para o agro

Entre os destaques da carteira de empréstimos está o aumento de 79,4% no crédito para o agronegócio em 12 meses, além da alta de 28,5% em crédito para pessoa jurídica, principalmente, para micro e pequenas empresas, e expansão de 8,7% em habitação.

No terceiro trimestre, a Caixa registrou crescimento de 429,1% nos empréstimos para o setor de saneamento e infraestrutura e de 201,0% em crédito comercial para empresas, principalmente para as menores, destaca o banco em seu balanço.

Na inadimplência, a taxa para atrasos acima de 90 dias fechou o terceiro trimestre em 2,16%, abaixo dos 2,46% do segundo trimestre, mas acima do nível de um ano atrás, em 1,87%. As despesas com provisão para devedores somaram R$ 2,975 bilhões no trimestre, alta de 15% ante o encerramento de julho.

A Caixa encerrou setembro com R$ 2,675 trilhão em ativos administrados, expansão de 5% em um ano, incluindo aqui os recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Descontando esses números, os ativos somaram R$ 1,488 trilhão.

Com informações do Estadão Conteúdo

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO