Bradesco (BBDC4): vazamento da subsidiária de financiamentos pode ter exposto dados de 53 mil clientes

Bradesco (BBDC4): vazamento da subsidiária de financiamentos pode ter exposto dados de 53 mil clientes
Bradesco - Foto: Reprodução

O Bradesco (BBDC4) comunicou nesta sexta-feira, 13, que sua subsidiária Bradesco Financiamentos detectou um incidente relacionado exclusivamente a ela, que pode ter permitido a visualização não autorizada de dados de contratos de financiamento de veículos de aproximadamente 53 mil clientes.


O banco afirma ainda que foram adotadas todas as medidas necessárias contra o vazamento de dados para a solução do incidente e os clientes e as autoridades competentes foram comunicados.

“Ressaltamos que a característica dos dados eventualmente visualizados não coloca em risco a integridade de acesso a sistemas transacionais desses clientes junto à Bradesco Financiamentos. O Bradesco reforça seu compromisso com a transparência e a segurança dos dados de seus clientes”, diz a empresa.

Bradesco: cibercrime

Vazamentos de dados e ciberataques contra empresas têm se tornado mais comuns nos últimos anos e se tornaram uma das principais preocupações da liderança das companhias.

Como mostrou o Estadão em reportagem publicada no ano passado, apenas em 2021 as perdas globais com ciberataques no ano passado eram estimadas em US$ 6 trilhões – três vezes o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil -, de acordo com estudo conduzido pela consultoria alemã Roland Berger.

Banco Pan (BPAN4) confirma vazamento de dados e apura número de clientes afetados

Banco Pan (BPAN4), que é controlado pelo BTG Pactual (BPAC11), confirmou em 15 de abril último que sofreu um vazamento de dados após relatos de clientes nas redes sociais, conforme nota obtida pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado. A instituição não revelou o número de usuários atingidos.

No fim de dezembro, o Pan somava 17 milhões de clientes. Há, conforme o banco, uma apuração em curso junto às autoridades e aos órgãos responsáveis para mensurar o tamanho do impacto do vazamento.

De acordo com o Pan, foi detectada uma fragilidade na plataforma de um fornecedor de tecnologia, utilizada na central de atendimento a clientes do segmento de cartões. “Ativamos nossos protocolos de segurança, notificamos a empresa de software para imediata correção da vulnerabilidade e contratamos consultoria especializada independente para uma análise completa”, afirmou o banco, em nota ao Broadcast.

O Pan disse ainda que, segundo a apuração em curso, já foi possível constatar que não houve comprometimento de conta corrente, indisponibilidade de sistema ou invasão à infraestrutura do banco. Afirmou, porém, que, a partir da vulnerabilidade, foi permitida a cópia não autorizada de dados cadastrais, de limites disponíveis e saldo devedor de clientes. Não foram expostos dados completos de cartão, senhas ou qualquer dado que “incorra em risco financeiro direto” para o cliente, de acordo com a instituição.

“Reforçamos que a segurança das informações é nossa prioridade e todas as autoridades competentes foram notificadas”, concluiu o Pan, em nota.

Leia mais

Bradesco teve alta de 4,7% no lucro do 1T22, para R$ 6,8 bilhões

Bradesco (BBDC4) fechou o primeiro trimestre de 2022 com lucro líquido recorrente de R$ 6,8 bilhões, alta de 4,7% no comparativo anual. A informação foi divulgada no balanço do banco, arquivado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), nesta quinta-feira (5) após o pregão.

lucro contábil do Bradesco atingiu R$ 7 bilhões entre janeiro e março, o equivalente a um incremento de 13,9% na comparação anual.

O Bradesco afirmou em apresentação os resultados do lucro líquido recorrente vem através de um bom desempenho da margem financeira, das receitas de prestação de serviços e das despesas operacionais. “Esse resultado é uma demonstração de nossa capacidade de capturar oportunidades, mesmo em um cenário de incertezas – com altas na inflação, aumento das taxas de juros e tensões geopolíticas”, afirma o comunicado.

O Retorno Anualizado sobre Patrimônio Líquido Médio (ROAE) teve queda de 0,7 pontos percentuais e alcançou 18% no período. O Retorno Anualizado sobre Ativo Médio (ROAA) foi de 1,6%, em linha com os resultados do 4T21 e do primeiro trimestre de 2021.

Segundo o balanço do Bradesco, o Índice de Basileia da instituição foi de 15,7%, aumento de 0,3 ponto percentual na comparação de base anual.

Com informações do Estadão Conteúdo

Redação Suno Notícias

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO