Semana do Fiagro

Elon Musk se encontra com Bolsonaro no interior de SP e discute projeto na Amazônia

O presidente Jair Bolsonaro se encontrou hoje no hotel de luxo Fasano Boa Vista, em Porto Feliz, interior de São Paulo, com o bilionário americano Elon Musk. O dono da Tesla (TSLA34), que negocia uma operação para comprar o Twitter (TWTR34), veio ao Brasil para discutir um projeto envolvendo satélites e programas de acesso à internet na Amazônia. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) deu aval à Starlink, empresa de Musk, para operar satélites de órbita baixa no Brasil, mas a operação ainda não foi iniciada.

Acompanham a comitiva presidencial no encontro com Elon Musk no Brasil os ministros Fábio Faria (Comunicações), Carlos França (Relações Exteriores), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Ciro Nogueira (Casa Civil).

O encontro, que não consta da agenda oficial do presidente, acontece próximo do “Conecta Amazônia“, evento para discutir marcos regulatórios, regulação na Amazônia e conectividade nas escolas.

Em transmissão ao vivo nas redes sociais, Bolsonaro disse hoje que teria um encontro reservado com uma “pessoa muito importante, reconhecida no mundo todo” nesta sexta-feira. “Essa pessoa veio para ajudar nossa Amazônia”, afirmou o presidente, sem revelar a identidade.

Bolsonaro encheu o empresário de elogios em discurso no hotel em Porto Feliz, segundo reportagem do G1: “O exemplo que nos deu quando se anunciou a compra do Twitter, para nós aqui é como um sopro de esperança. O mundo todo passa por pessoas que têm vontade de roubar essa liberdade de nós, a liberdade é a semente para o futuro. É um mito da liberdade.”

Antes de embarcar para Porto Feliz, Bolsonaro participou, das 6h30 às 7h30, de café da manhã com mulheres empreendedoras do Movimento Escolas Abertas. Após o encontro com Musk, segue para Curitiba, onde participará no sábado da Marcha para Jesus.

Bolsonaro ignorou os interesses empresariais de Musk e afirmou, após se encontrar com o dono da Tesla e da Starlink, que a visita do empresário é de cortesia, e não de negócios.

Além de Bolsonaro, Musk conversou com o ministro das Comunicações, Fábio Faria, e com o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira.

Bolsonaro ainda renovou afagos ao bilionário. “O que mais nos chamou a atenção foi sua preocupação com a Amazônia de verdade”, declarou o presidente. “Tanto é que quando você comprou o Twitter muita gente aqui no Brasil foi como se fosse um grito de independência”, acrescentou. “Nosso governo trabalhará para encarnar o seu espírito, da importância da liberdade de todos nós.”

Parceria entre governo e Elon Musk tem como objetivo internet em lugares de difícil acesso

Em novembro do ano passado, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, se encontrou com o fundador da SpaceX. Pelas redes sociais, o ministro havia dito que a presença de Elon Musk aconteceria em breve no Brasil para “conectarmos as escolas rurais e protegermos a Amazônia utilizando a tecnologia da SpaceX/Starlink“.

“Estamos trabalhando para fechar essa importante parceria entre o governo brasileiro e a empresa SpaceX. Queremos aliar a tecnologia desenvolvida por eles com o programa Wi-Fi Brasil do Ministério das Comunicações. O nosso objetivo é levar a internet para área rurais e lugares remotos, além de ajudar no controle de incêndios e desmatamentos ilegais na floresta amazônica”, explicou Faria em nota.

Na manhã desta sexta-feira, o bilionário CEO da Tesla publicou em seu Twitter que estava “super animado” por estar no Brasil.

“Super animado por estar no Brasil para o lançamento do Starlink para 19 mil escolas desconectadas em áreas rurais e monitoramento ambiental da Amazônia!”, escreveu Elon Musk.

Entenda o que é o projeto que envolve satélites de Elon Musk operando no Brasil

A reunião de Elon Musk com Bolsonaro, no interior paulista, envolve um projeto da Starlink, empresa de Musk, para operar satélites de órbita baixa no Brasil.

O ministro da Comunicações, Fábio Faria, teve encontro com Elon Musk em dezembro do ano passado para tratar do projeto.

Segundo o ministro, o governo federal quer utilizar satélites de órbita baixa para levar internet para áreas rurais e lugares remotos, além de ajudar no controle de incêndios e desmatamentos ilegais na floresta amazônica.

A internet da Starlink, de acordo com informações da empresa, funciona enviando informações através do vácuo do espaço, onde se desloca mais rapidamente do que em cabos de fibra óptica, o que a torna mais acessível a mais pessoas e locais.

Constelação de satélites

Segundo a Starlink, enquanto a maioria dos serviços de internet por satélite atuais são possibilitados por satélites geoestacionários simples que orbitam o planeta a cerca de 35 mil km de altitude, a Starlink é uma constelação de vários satélites que orbitam o planeta a uma distância mais próxima da Terra, a cerca de 550 km.

Uma vez que estão em baixa órbita, o tempo de envio e recepção de dados entre o utilizador e o satélite – a latência – é muito menor do que com satélites em órbita geoestacionária, diz a empresa. O direito de exploração pela Starlink, de Elon Musk, no Brasil deve valer até 2027.

(Com informações do Estadão Conteúdo)

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO