Bolsas asiáticas e europeias caem nesta sexta; Ibovespa seguirá mercado internacional?

As bolsas asiáticas fecharam em baixa nesta sexta-feira (20), em meio a preocupações sobre a trajetória dos juros nos EUA, após comentários do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), e desdobramentos do conflito no Oriente Médio.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-Dkp-1.png

Esse cenário pode ter alguma repercussão nas negociações do Ibovespa hoje, que fechou a sessão de quinta-feira (19) em queda de 0,05%, aos 114.004,30 pontos.

Liderando perdas nas bolsas asiáticas, o índice sul-coreano Kospi recuou 1,69% em Seul, a 2.375,00 pontos, enquanto o índice japonês Nikkei caiu 0,54% em Tóquio, a 31.259,36 pontos, o Hang Seng teve queda de 0,72% em Hong Kong, a 17.172,13 pontos, e o índice Taiex registrou baixa marginal de 0,07% em Taiwan, a 16.440,72 pontos.

Na China continental, o Xangai Composto caiu 0,74%, a 2.983,06, ficando abaixo da marca psicológica de 3.000 pontos pela primeira vez este ano, e o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 0,96%, a 1.810,47 pontos.

Ontem, o presidente do Fed, Jerome Powell, avaliou que a inflação nos EUA segue muito alta e provavelmente exigirá crescimento econômico menor, deixando aberta a possibilidade de que os juros americanos voltem a ser elevados mais adiante, após a manutenção das taxas no mês passado.

Embora a avaliação seja de que Powell adotou uma postura “neutra”, sem se comprometer com os próximos passos do Fed, as bolsas de Nova York tiveram perdas de cerca de 0,8% a 1% no pregão de quinta-feira.

Já o banco central chinês (PBoC) decidiu hoje deixar suas principais taxas de juros inalteradas, após a recente divulgação de dados de crescimento e de indústria e varejo da China que superaram as expectativas.

Enquanto isso, o temor de uma possível escalada no conflito entre Israel e Gaza segue comprometendo o apetite por risco na Ásia e em outras partes do mundo.

Na Oceania, a bolsa australiana também ficou no vermelho hoje, com queda de 1,16% do S&P/ASX 200 em Sydney, a 6.900,70 pontos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240.jpg

Bolsas da Europa ampliam perdas recentes, com incertezas sobre juros dos EUA e Oriente Médio

As bolsas europeias operam em baixa significativa na manhã desta sexta-feira (20), estendendo perdas dos dois pregões anteriores, em meio a incertezas sobre a perspectiva dos juros nos EUA, após comentários do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), e a crise no Oriente Médio.

Confira os índices perto das 7h50 desta sexta:

  • Londres (FTSE100): -0,83%
  • Frankfurt (DAX): -1,22%
  • Paris (CAC 40): -1,15%
  • Madrid (Ibex 35): -1,08%
  • Europa (Stoxx 600): -0,95%

Por volta das 6h35 (de Brasília), o índice pan-europeu Stoxx 600 recuava 0,97%, a 435,46 pontos, no menor patamar em sete meses, acompanhando o desempenho negativo de Wall Street na quinta-feira. Nesta semana, o índice acumula perdas de cerca de 3%.

Quanto à temporada de balanços, a multinacional de cosméticos francesa L’Oréal ampliou vendas trimestrais, mas teve recuperação mais fraca do que se esperava na China, e sua ação caía quase 1% em Paris, no horário acima. Por outro lado, os últimos números de receita da Vivendi agradaram, e o papel da gigante de mídia francesa avançava 2,6%.

No noticiário macroeconômico, o setor varejista do Reino Unido teve queda bem maior do que se previa nas vendas de setembro, enquanto os preços ao produtor (PPI) da Alemanha recuaram em ritmo anual mais forte do que o esperado, também no mês passado.

De um modo geral, o temor de uma possível escalada no conflito entre Israel e Gaza segue comprometendo o apetite por risco na bolsas asiáticas e em outras partes do mundo.

Com informações da Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240-2.png

Giovanni Porfírio Jacomino

Compartilhe sua opinião