Após fusão com Hapvida (HAPV3), NotreDame (GNDI3) deixará de ser negociada na B3 em 11/2

Após fusão com Hapvida (HAPV3), NotreDame (GNDI3) deixará de ser negociada na B3 em 11/2
NotreDame Intermédica terá ações fora da bolsa já na segunda 14 - Foto: Divulgação

A Hapvida (HAPV3) e a NotreDame Intermédica (GNDI3), em complemento ao Fato Relevante divulgado em 4 de janeiro de 2022, no qual comunicaram a decisão da Superintendência-Geral do Cade que aprovou a combinação de negócios entre as companhias sem restrições, informam, em comunicado enviado à Comissão de Valores Imobiliários (CVM), os próximos passos para o fechamento da operação.

A primeira fase compreende a incorporação da totalidade das ações da NotreDame Intermédica pela HapvidaCo com a emissão, aos acionistas da primeira companhia, de 1 ação ordinária e 1 ação preferencial resgatável de emissão da Hapvida para cada ação da NotreDame incorporada.

A segunda etapa diz respeito ao resgate de ações preferenciais da HapvidaCo, com o pagamento, para cada 1 ação preferencial resgatável, de R$ 5,12601160179 (Parcela Caixa). A parcela já considera o desconto dos Dividendos Extraordinários declarados pela NotreDame no valor total de R$ 1 bilhão (correspondente ao valor bruto de R$ 1,613026961 por ação), bem como a atualização pela variação do CDI sobre o valor total de R$ 4 bilhões a partir de 29 de março de 2021 até a presente data.

Por fim, ocorrerá a efetiva incorporação da HapvidaCo pela Hapvida, com a consequente extinção da HapvidaCo e sucessão, pela Hapvida, de todos os seus bens, direitos e obrigações. Também ocorrerá a migração dos acionistas da NotreDame para a Hapvida por meio do recebimento de novas ações ordinárias da companhia, emitidas com base na Relação de Troca. Esta prevê que, para cada ação ordinária de emissão da NotreDame, os acionistas da companhia receberão 5,2436 ações ordinárias da Hapvida.

Entenda as negociações das ações da Hapvida e da NotreDame na B3

De acordo com as companhias, o fechamento da operação será feito a partir de atos interdependentes e vinculados em datas distintas. Dessa forma, em 11 de fevereiro, ocorrerá o encerramento da negociação das ações da NotreDame Intermédica na B3. Em 14 de fevereiro haverá o início da negociação das Novas Ações Hapvida na B3. No dia 16 de fevereiro será efetivado o crédito das novas ações Hapvida nas contas de custódia dos acionistas da NotreDame.

Em seguida, no dia 29 de março, ocorrerá o pagamento pela NotreDame aos seus acionistas do valor correspondente aos dividendos extraordinários declarados pela companhia. No mesmo dia, será realizado o pagamento pela Hapvida aos acionistas da NotreDame Intermédica do valor final correspondente à Parcela Caixa.

Goldman Sachs mantém recomendação neutra para Hapvida

Em relatório publicado nesta sexta (21), o Goldman Sachs revisitou sua recomendação para as ações da Hapvida, mas decidiu manter a recomendação neutra. Na avaliação do banco, a combinação das empresas poderia liderar o
processo de consolidação do setor de saúde no Brasil com potencial de sinergias, mas incertezas sobre a capacidade da companhia de reduzir sua taxa de custo médico a médio prazo permanecem.

Segundo o relatório, os benefícios de aquisições futuras e melhora da perspectiva macroeconômica (podendo aumentar a penetração do seguro privado) são os potenciais gatilhos para um upside da companhia.

Por outro lado, potenciais riscos de integração e execução de aquisições, tal como o pagamento de prêmios mais elevados por elas, somado a necessidade de mais capital para construir instalações médicas e expandir as operações, se apresentam como gatilhos para downside.

Mesmo com a fusão com a NotreDame, o Goldman Sachs tem um preço-alvo de R$ 14 para as ações da Hapvida, que representa uma valorização de 25%.

(Com informações do Estadão Conteúdo)

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO