Balanços da semana

Americanas (AMER3) entra para ranking dos maiores prejuízos da história


O prejuízo de R$ 12,9 bilhões divulgado pela Americanas (AMER3) em seu balanço nesta quinta-feira (16), referente ao acumulado de 2022, representa o oitavo maior registrado por uma empresa brasileira de capital aberto desde 2010. Os dados foram divulgados por Einar Rivero, consultor de dados do mercado financeiro.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-1.png

Com isso, a Americanas entra para o ranking como uma das companhias com maior prejuízo da história.

Diante de um escândalo contábil com dívidas declaradas de R$ 42,5 bilhões, a varejista dobrou seu prejuízo em relação a 2021, apresentando um desempenho pior do que o da Azul (AZUL4), que, em 2020, impactada pelos efeitos da pandemia, registrou um prejuízo de R$ 10,8 bilhões.

O pior resultado no período ainda pertence à Vale (VALE3), que, em 2015, enfrentou um prejuízo de R$ 44,2 bilhões, marcado pelo rompimento da barragem da mineradora Samarco em Mariana (MG) — uma tragédia que resultou em 19 mortes e deixou o distrito de Bento Rodrigues submerso em lama.

A Petrobras (PETR4) é a empresa que mais aparece na lista, com três registros nas posições segunda, terceira e sexta.

Os resultados adversos tiveram início em 2014, quando a estatal apresentou um prejuízo em torno de R$ 21,6 bilhões, atribuído, na época, a casos de corrupção investigados pela operação Lava Jato.

Americanas fica na frente de Azul (AZUL4) e Oi (OIBR3) em ranking

  1. Vale (2015): Prejuízo: R$ 44,2 bi
  2. Petrobras (2015): Prejuízo: R$ 34,8 bi
  3. Petrobras (2014): Prejuízo: R$ 21,6 bi
  4. Oi (2022): Prejuízo: R$ 19,3 bi
  5. OGX (2013): Prejuízo: R$ 17,4 bi
  6. Petrobras (2016)Prejuízo: R$ 14,8 bi
  7. Eletrobras (ELET3), em 2015: Prejuízo: R$ 14,4 bi
  8. Americanas (2022): Prejuízo: R$ 12,9 bi
  9. Azul (2020): Prejuízo: R$ 10,8 bi
  10. Oi (2019): Prejuízo: R$ 9 bi

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240_TEXTO_CTA_A_V10.jpg

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião