Alupar (ALUP11) deve reduzir investimentos em 2024 e nos próximos anos, diz Fitch

Em análise sobre Alupar (ALUP11) e sua subsidiária Alupar Chile, a agência de classificação de risco Fitch afirmou os ratings de inadimplência do emissor (IDRs) de longo prazo em moeda estrangeira em ‘BB+’ e em moeda local em ‘BBB-‘, com perspectiva estável, com destaque para a redução nos investimentos para 2024 e para os próximos anos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-2.png

A Fitch também afirmou o rating nacional de longo prazo em ‘AAA(bra)’ para Alupar, sua subsidiária Foz do Rio Claro e suas debêntures locais em circulação no mercado. Além disso, afirmou o rating nacional de longo prazo ‘AA+(bra)’ da subsidiária Amazônia Empresa Transmissora de Energia (AETE) e de suas debêntures locais em circulação. A perspectiva, nestes casos, também é estável.

Segundo a agência, os ratings da Alupar refletem o baixo risco de seu negócio, devido à sua diversificada carteira de ativos de transmissão de energia elétrica no Brasil, setor que apresenta receitas previsíveis e margens operacionais elevadas. Para a Fitch, a empresa também se beneficia de sua atividade de geração, o que contribui para diluir riscos operacionais e regulatórios.

“O grupo deve continuar reduzindo a alavancagem e apresentando fluxo de caixa livre (FCF) positivo nos próximos anos, à medida que os investimentos diminuem”, pontua, acrescentando que os ratings da Alupar Chile e da Foz do Rio Claro refletem principalmente os elevados incentivos legais da Alupar para lhes prestar suporte, enquanto a classificação da AETE é beneficiada por incentivos operacionais medianos.

Ainda de acordo com a Fitch, a Alupar deve apresentar fluxo de caixa livre positivo em torno de R$ 800 milhões em 2024 e média anual de R$ 1,1 bilhão em 2022-2026, “devido à redução de investimentos e com base em uma distribuição de dividendos correspondente a 50% do lucro líquido“, explica.

O cenário-base, conforme a agência, considera R$ 643 bilhões em investimentos em 2024 e média anual de R$ 342 milhões no triênio seguinte, significativamente abaixo da média anual de R$ 1,6 bilhão de 2020 a 2022 e da estimativa de R$ 680 milhões em 2023.

A agência também detalha que o perfil de crédito da Alupar é beneficiado pela atuação da empresa em transmissão e geração de energia elétrica, principalmente no Brasil, “por meio de uma ampla e diversificada base de ativos, que dilui possíveis riscos operacionais e regulatórios”.

Alupar (ALUP11): controlada vence leilão de projeto com capex de US$ 45 milhões na Colômbia

No início do mês passado, a Alupar anunciou que sua subsidiária Alupar Colombia venceu o leilão UPME 07/21 realizado na Colômbia.

Segundo o fato relevante divulgado pela Alupar, o investimento total (capex) para o projeto é de aproximadamente US$ 45,2 milhões, e a receita anual permitida (RAP) atinge US$ 6,178 milhões.

A Alupar já possui presença consolidada na Colômbia nos setores de transmissão e geração, contando com uma Pequena Central Hidrelétrica (PCH) de 19,9 MW de capacidade instalada e uma linha de transmissão de 235 km em 500 kV.

“A conquista desse novo projeto reforça a posição da Alupar como uma empresa consolidada no segmento de transmissão neste país”, declarou a empresa elétrica.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-1.png

Em novembro, subsidiária da Alupar venceu leilão e investimento pode chegar a US$ 45,9 milhões

Em meados de novembro a companhia informou que sua controlada, a Alupar Inversiones Chile, foi a vencedora do grupo 02 do leilão feito no Chile para a realização de obras em 3 novas subestações, com 15,7 km de linhas de transmissão.

Conforme comunicado pela Alupar, as 3 subestações incluídas são: Seccionadora El Pimiento (220kV), Monte Blanco (110kV) e El Lazo (110kV). As linhas de transmissão do projeto consideram essas mesmas subestações.

“Este novo empreendimento marca o retorno da Alupar ao Chile após uma atuação bem-sucedida da companhia entre os anos de 2005 e 2016”, diz o comunicado.

A receita anual permitida (RAP) vencedora é de US$ 5,198 milhões, o que representa aproximadamente R$ 25,55 milhões na cotação atual. Enquanto isso, o capex de referência (CEN) é de US$ 45,9 milhões.

O percentual da economia estimada diante do capex de referência está entre 10% e 15%. Já a relação entre a receita anual permitida vencedora e o capex da Alupar é de 13%.

O prazo de concessão é perpétuo, enquanto o prazo de construção regulatório é de 48 meses (4 anos) após a publicação do decreto de adjudicação, que está previsto para ocorrer em dezembro de 2023.

Veja um resumo das informações do projeto da subsidiária da Alupar no Chile:

  • RAP vencedora: US$ 5.198.000,00
  • Capex de Referência (CEN): US$ 45.962.891,00
  • Projeto: 3 novas subestações e 15,7 km em linhas de transmissão.
  • % economia estimada x capex de referência: 10% a 15%
  • Relação RAP vencedora/capex Alupar: 13,0%

Cabe lembrar que a subsidiária da Alupar no Peru foi a vencedora de um projeto relacionado a eletricidade em agosto. A companhia já atuava no país no segmento de geração de energia, por meio de uma usina hidrelétrica. Porém, a partir desse projeto, passou a atuar também no segmento de transmissão de energia.

Desempenho das ações de Alupar

Cotação ALUP11

Gráfico gerado em: 17/01/2024
1 Dia

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Giovanni Porfírio Jacomino

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno