Aegea, da Itaúsa (ITSA4), liquida R$ 2,6 bilhões em debêntures

A Aegea Saneamento, que integra o portfólio da Itaúsa (ITSA4), comunicou nesta terça-feira (10) a liquidação financeira da 18ª emissão de debêntures simples, totalizando R$ 2,68 bilhões.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-2.png

Cada debênture da Aegea custa R$ 1 mil. Esses títulos da controlada da Itaúsa têm vencimento em janeiro de 2031.

“Os recursos captados pela Companhia por meio da emissão das Debêntures serão destinados exclusivamente para o pagamento futuro ou o reembolso de gastos, despesas ou dívidas que ocorreram em prazo igual ou inferior a 24 (vinte e quatro) meses contados da data de divulgação do Anúncio de Encerramento da Oferta e sejam relacionados aos projetos de investimento descritos na Escritura da Emissão das Debêntures”, diz o fato relevante da companhia.

Itaúsa deve sair de ‘vale’ de dividendos ao reduzir dívida bilionária, diz CEO

O atual CEO da Itaúsa, Alfredo Setubal, voltou a afirmar que a holding financeira deve somente sair do atual fluxo de proventos – considerado baixo – quando reduzir significativamente seu patamar de alavancagem financeira e colher frutos de investimentos em controladas menores.

O CEO da Itaúsa afirmou que no momento atual a holding ainda foca ‘na consolidação de portfólio’.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-1.png

“Em termos de dividendos, estamos em um ‘vale’, pagamos menos do que gostaríamos. Reduzindo alavancagem e investimento, esse fluxo de investimentos virá, e iremos compensar todo esse período”, declarou durante o Panorama Itaúsa 2023.

“Estamos visando reduzir a dívida de maneira progressiva: temos atualmente R$ 5 bilhões em dívida. Temos ‘triple A‘ [classificação de risco] das principais agências. O que temos são muitas debêntures no mercado, não é uma dívida bancária. Isso dá uma tranquilidade grande para o investidor”, acrescentou.

Atualmente a holding gasta cerca de R$ 1 bilhão ao ano no pagamento de juros, dado o seu endividamento.

A cifra é considerada elevada pela gestão, especialmente considerando que a companhia ‘vive de seus próprios dividendos‘.

Setubal ainda declarou que a companhia deve fazer caixa com novas vendas de ações da XP (XPBR31) – em linha com o que foi comunicado nas últimas alienações.

“Ainda temos um saldo de ações da XP para realizar, vamos fazer isso ao longo dos próximos meses com calma e tranquilidade”, completou o CEO da Itaúsa.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno