Proventos bilionários

63% dos brasileiros afirmam não ganhar o necessário e ter problemas financeiros, diz Datafolha

63% dos brasileiros afirmam não ganhar o necessário e ter problemas financeiros, diz Datafolha
Imposto de Renda. Foto: Pixabay

Um levantamento feito pelo Datafolha com 2.556 brasileiros em 181 cidades apontou que 63% dos brasileiros afirmam não ganhar o necessário e ter problemas financeiros. Deste total, 37% dizem que o orçamento familiar não é suficiente e que, em alguns momentos, chega a faltar. Outros 26% declaram ganhar muito pouco.

A pesquisa, divulgada pela Folha de S.Paulo neste domingo, ouviu os brasileiros na quarta (22) e quinta-feira (23) e tem margem de erro de dois pontos para mais ou para menos.

A pesquisa de hoje aponta uma reversão de tendência, já que a parcela de pessoas com limitações financeiras vinha recuando desde o seu pico, registrado em julho de 2016. Naquele momento, 67% responderam ter problemas com orçamento. Um ano atrás, esta parcela tinha caído para 55%.

Confira o resultado da pesquisa do Datafolha

Você diria que o dinheiro você e sua família ganham:

  • Não é o suficiente, às vezes falta: 37%
  • É exatamente o que precisam para viver: 32%
  • É muito pouco, trazendo dificuldades: 26%
  • Mais do que suficiente: 5%

A pesquisa mostra que a situação atualmente é muito delicada principalmente para quem tem renda familiar de até dois salários mínimos, com 81% declarando sofrer limitações financeiras, de acordo com o Datafolha. Neste grupo, 42% declaram que a renda familiar não é suficiente, e às vezes falta dinheiro, enquanto 39% dizem que ganham muito pouco e têm dificuldades.

Um dos pontos que contribuem para esta situação é a alta da inflação. A prévia da inflação, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), acelerou em junho para 0,69%, ficando 0,10 ponto percentual (p.p.) acima da taxa registrada em maio (0,59%). A informação foi divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (24)

No resultado acumulado em 12 meses, o IPCA-15 ficou em 12,04% em junho, ante 12,20% no número registrado até maio.

Na última segunda-feira, o Banco Central aumentou as projeções para a inflação nos próximos três anos. Para 2022, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) projetado passou dos 6,3%, previstos em março, para 8,8%, nesta projeção de junho. O centro da meta fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para este ano está em 3,5%, com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Para 2023, ano em que a meta está em 3,25%, o BC projeta inflação de 4%, ante aos 3,1% divulgados em março. Já para 2024, ano em que a meta definida pelo CMN está em 3%, as projeções passaram de 2,3% para 2,7%.

Em relação à expectativa do poder de compra dos salários, a pesquisa do Datafolha mostra que 34% acreditam que vai perder poder de compra, outros 33%, que vai ficar como está.

Redação Suno Notícias

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO