Nelson Tanure Nelson Tanure

Nelson Tanure

Perfil de Nelson Tanure
Nome Completo Nelson Sequeiros Rodriguez Tanure
Nascimento 1951
Local de Nascimento Salvador, Bahia, Brasil
Nacionalidade Brasileiro
Formação Administrador de empresas
Ocupação Investidor

Biografia de Nelson Tanure

Quem é Nelson Tanure

Nelson Tanure, empresário conhecido por investir em companhias que enfrentam dificuldades, atua em setores diversos da economia. Seu portfólio inclui desde empresas de mídia (como telecomunicações e jornais) como também infraestrutura e até empresas de petróleo.

Por meio de sua investidora Société Mondiale, Nelson Tanure tem participação na gigante de telecomunicações brasileira Oi. A empresa que tem mais de 70 milhões de clientes no país e protagonizou a maior recuperação judicial do país.

Além disso, desde de abril de 2019 Nelson Tanure passou a integrar o conselho administrativo da Gafisa. O empresário também participou do aumento de capital da empresa, tornando-se um importante sócio da companhia, que chegou a enfrentar pedidos de falência.

Trajetória de Nelson Tanure

Nelson Sequeiros Rodriguez Tanure nasceu em Salvador, na Bahia, em 1951. Graduado em administração de empresas pela Universidade Federal da Bahia, começou a trabalhar na empresa do setor imobiliário Cinasa, criada por seu pai.

No entanto, o primeiro passo de Tanure como acionista de uma companhia aconteceu na década de 1980. Na época, ele comprou uma participação na Sequip, especializada em serviços de engenharia para a indústria petroleira no Rio de Janeiro.

Em 1986, também se tornou dono do estaleiro Emaq, então em situação falimentar. Durante o mesmo período, o empresário virou um dos sócios da Comex, empresa francesa de serviços de petróleo, e também da Hydrospace do Canadá.

Quer aprender a avaliar o valor real de uma empresa? Faça o minicurso de valuation e precificação de ativos.

Ainda na década de 1980, tornou-se sócio minoritário da CGEE Alsthom, grupo francês especializado em fornecer produtos para hidrelétricas.

Já na década de 1990, Tanure virou proprietário do Verolme, um dos maiores estaleiros do mundo, localizado na capital fluminense. A empresa enfrentava processo de concordata e tinhas as atividades paralisadas.

Na mesma época, se tornou o sócio majoritário da Companhia Docas de Santos, que passou a se chamar Docas Investimentos S.A.

Depois, foi a vez de comprar uma participação na empresa de petróleo HRT, cujas dificuldades fizeram o preço de suas ações despencar em 2013. Mais tarde, foi rebatizada para PetroRio.

Em março de 2019, começou a circular na imprensa brasileira que Tanure poderia compor o conselho de administração da Gafisa. A companhia enfrentava cenário difícil com queda nas vendas e altas dívidas.

Diante da boa recepção à entrada de Tanure, em abril de 2019, o conselho aprovou a entrada do investidor. Além de membro do conselho, Tanure se tornou um importante sócio da empresa.

Nelson Tanure e a comunicação

No campo da comunicação, o empresário, que já fora acusado de perseguir jornalistas que publicavam conteúdo contra ele, comprou o Jornal do Brasil, publicação tradicional sediada no Rio de Janeiro que estava em situação pré-falimentar. Depois, arrendou a Gazeta Mercantil.

O empresário auxiliou na fusão da Intelig com a Tim. O sucesso fez com que ele fosse acionista do novo conglomerado. Nelson Tanure comprou a empresa brasileira por apenas R$ 10 milhões, assumindo uma dívida de R$ 130 milhões. Um ano mais tarde, vendeu-a aos italianos por cerca de R$ 650 milhões.

O investimento na Oi ocorreu em 2016, ano em que a gigante de telecomunicações nacional pediu recuperação judicial. À época a companhia estava altamente endividada, com R$ 64,5 bilhões em obrigações, apesar do expressivo número de clientes no país.

Paralelamente aos investimentos em empresas, é conhecido por sua paixão por música clássica. Tanto que, por alguns anos, foi vice-presidente da Orquestra Sinfônica Brasileira.

A notícia de que Nelson Tanure comporia o conselho da Gafisa ajudou as ações da empresa, que apresentaram alta na B3, a quinta maior bolsa de valores do mundo. Parte do sucesso da B3 se deve a Edemir Pinto, que presidiu a instituição. Para saber mais sobre a trajetória de Edemir Pinto, leia o o artigo que Suno preparou sobre o economista.

Ler mais

Compartilhe sua opinião