Iguatemi (IGTA3) tem alta de 219,9% no lucro líquido do 1T21

Iguatemi (IGTA3) tem alta de 219,9% no lucro líquido do 1T21
Iguatemi (IGTA3) Shopping. Foto Divulgação

A Iguatemi (IGTA3) divulgou nesta terça-feira (4) um lucro líquido de R$ 39,8 milhões no primeiro trimestre de 2021, o que representa uma alta de 219,9% ante o mesmo período do ano passado.

Já o FFO (lucro líquido excluindo depreciação, amortização e efeitos não caixa) atingiu R$ 76,9 milhões no período, 55,7% acima do mesmo trimestre em 2020, conforme informou a Iguatemi.

Por sua vez, o Ebitda (Lucros Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização)  atingiu R$ 101,4 milhões nos três primeiros meses do ano , uma queda de 1,4% contra o mesmo período de 2020, com margem EBITDA de 59,9%.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Além disso, a receita líquida somou R$169,4 milhões no primeiro trimestre de 2021, o que representa 8,0% a mais que os mesmos meses do ano passado.

A Iguatemi destaca também que as vendas totais atingiram R$ 1,8 bilhões, queda de 28,4% em comparação anual. As vendas mesmas lojas (SSS) caíram 25,6% e as vendas mesmas áreas (SAS) caíram 28,4% no trimestre.

Enquanto os aluguéis mesmas lojas (SSR) declinaram 4,2% e os aluguéis mesmas áreas (SAR) registraram uma queda de 12,8% no período.

A alavancagem encerrou o trimestre em 3,26x Dívida Líquida/EBITDA (queda de 0,06 versus 4T20 e um aumento de 0,79 versus 1T20, de acordo com a companhia.

A Dívida Total da Companhia encerrou o trimestre em R$ 3,3 bilhões, 2,8% abaixo do quarto trimestre do ano passado. A Disponibilidade de Caixa encontrava-se em R$ 1,6 bilhões, diminuição de 3,5% em comparação ao último trimestre de 2020.

“A Iguatemi está preparada para dar continuidade ao processo de ampliação das atividades dos empreendimentos e retomada do varejo, com equipes treinadas e implementando todos os protocolos de saúde e proteção necessários para que clientes, lojistas, colaboradores e fornecedores se sintam seguros em nossos shoppings e outlets. Seguiremos adotando uma postura transparente, focados em operar com todo o cuidado que este novo cenário exige, e atentos às inovações para aprimorar ainda mais a experiência de consumo omnichannel”.

Última cotação

As ações da Iguatemi fecharam o pregão em queda de 0,49%, a R$ 38,51, antes do resultado ser divulgado.

Rafaela La Regina

Compartilhe sua opinião