Leila Pereira: a vida da presidente da Crefisa, da FAM e do Palmeiras

AS 11 empresas da empresária são avaliadas, juntas, em cerca de R$ 4,5 bilhões.

Leila Pereira é dona da Crefisa e da Faculdade das Américas (FAM), participando ativamente da gestão de outras 11 empresas.

A empresária ficou nacionalmente conhecida ao patrocinar o Palmeiras.

Ela defende é um investimento de longo prazo que fortalece suas marcas.

Formada em direito, por alguns anos quase seguiu carreira como jornalista.

Por influência de seu marido, o empresário José Roberto Lamacchia, ela decidiu deixar a comunicação.

Leila Mejdalani Pereira nasceu em 1965, na cidade de Cabo Frio, interior do Estado do Rio de Janeiro.

Trajetória de Leila Pereira

Filha de médico, seu pai queria que ela se tornasse "dona de casa" e continuasse em Cabo Frio, mas Leila Pereira tinha o desejo de seguir seu próprio caminho.

Apoiada pela mãe, mudou-se aos 14 anos para o Rio de Janeiro, onde terminou o colegial e ingressou no curso de jornalismo, na faculdade Estácio de Sá.

Na ocasião, ela participou da cobertura da Copa do Mundo de 1990.

Ainda que pouco tenha atuado na profissão, durante a faculdade Pereira fez estágio na TV Manchete.

Conheceu seu futuro marido José Roberto Lamacchia, filho de Luiz Lamacchia, dono do Banco do Comércio e fundador da Crefisa, durante uma festa de carnaval.

Em 1996, mudou-se para SP para tentar carreira como juíza, depois de se formar em direito na Universidade Cândido Mendes.

Não passou no concurso público e foi trabalhar em um escritório de advocacia.

Em 1999, casou-se com Lamacchia e começou a trabalhar nos negócios do marido como advogada.

Em 2008, tornou-se presidente da Crefisa e, posteriormente, da FAM.

Quando era criança, não se interessava muito por futebol. Quem passou a paixão para ela foi seu marido, torcedor do Palmeiras.

Leila Pereira e  o Palmeiras

Desde então, Leila Pereira ficou aficionada pelo clube paulista e pelo esporte.

Em 2015, decidiu iniciar o patrocínio. Em cerca de 4 anos, investiu mais de R$ 400 milhões.

Carinhosamente, foi apelidada de "Tia Leila" pela torcida palmeirense. 

Em 2021, foi eleita a  1ª mulher presidente  do Palmeiras, coman-dando o clube por 3 anos.